Você está aqui

Grécia: MSF pede abertura imediata dos centros de detenção

18/05/2016
Refugiados e migrantes estão detidos arbitrariamente e em condições deploráveis

Foto: Guillaume Binet/MYOP

Dois meses depois da assinatura do acordo entre União Europeia e Turquia, a situação dos migrantes encarcerados nas ilhas gregas continua a se deteriorar. A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) reitera que as condições nesses centros de detenção são abjetas e pede sua abertura imediata.

Desde o dia 20 de março, refugiados que chegam às ilhas gregas são enviados a centros de detenção. Entre eles, há mulheres, crianças e dezenas de menores desacompanhados, para os quais não existe nenhuma medida de proteção específica.

Nessas instalações, a detenção administrativa pode durar no máximo 25 dias – uma exigência que não está sendo cumprida. Então, além da natureza totalmente inadmissível dessas detenções, está claro que muitos dos migrantes forçados a viver amontoados estão detidos ilegalmente. Embora o número de pessoas encarceradas em alguns acampamentos seja hoje mais do que o dobro do planejado originalmente, e não exista separação entre homens e mulheres que vivem em condições cada vez mais precárias, as autoridades continuam a levar mais migrantes para acampamentos já superlotados.

De acordo com informações obtidas por equipes de MSF, água e acomodações estão em falta em alguns centros, instalações sanitárias têm manutenção precária, as condições de higiene são deploráveis, e a distribuição de alimentos não é regular. As equipes também observaram um aumento considerável do número de pessoas que sofrem de estresse e têm ferimentos causados pela violência. As tensões que já existiam estão ainda maiores, devido à detenção prolongada em espaços superlotados. Enquanto isso, os migrantes recebem muito pouca informação, mesmo que isso pudesse, de alguma forma, ajudá-los a prever ao menos algum tipo de futuro para suas vidas.

Fundada na rejeição, a política migratória elaborada pela União Europeia está atingindo seus objetivos, na medida em que menos pessoas estão desembarcando nas ilhas gregas. Mas parece que a selvageria dessa política ainda não é suficiente, na medida em que aqueles que continuam a cruzar o mar Egeu, arriscando suas vidas, estão agora detidos em condições tão deploráveis quanto arbitrárias.

O encarceramento só serve para agravar a situação desses refugiados, que estão sendo tratados de modo cada vez mais desumano e degradante. É urgente e vital aliviar ao menos parcialmente seu sofrimento, por meio da abertura dos acampamentos e a permissão para que se movimentem livremente pelas ilhas. MSF reitera às autoridades da União Europeia e da Grécia que as condições dessas detenções são abjetas e pede a abertura imediata dos centros de detenção.

Leia mais sobre