Você está aqui

Grécia: MSF encerra atividades em Lesbos

23/03/2016
Decisão foi tomada após acordo entre UE e Turquia. “Continuar a trabalhar ali nos faria cúmplices de um sistema que consideramos injusto e desumano”, diz coordenadora-geral de MSF na Grécia

Foto: Alessandro Penso

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) decidiu suspender suas atividades relacionadas com o acampamento improvisado de Moria, em Lesbos, na Grécia, sem anúncio prévio. A decisão foi tomada após o acordo entre a União Europeia (UE) e a Turquia, que levará ao retorno forçado de migrantes e requerentes de asilo que chegam às ilhas gregas.

Refugiados e migrantes andam em meio ao lixo e à lama enquanto esperam para serem registrados no centro de Moria (Foto: Alessandro Penso)“Nós tomamos a decisão extremamente difícil de encerrar nossas atividades em Moria porque continuar a trabalhar ali nos faria cúmplices de um sistema que consideramos injusto e desumano”, disse Marie Elisabeth Ingres, coordenadora-geral de MSF na Grécia. “Nós não permitiremos que nossa assistência seja instrumentalizada para uma operação de expulsão massiva, e nos recusamos a ser parte de um sistema que não tem consideração pelas necessidades humanitárias ou de proteção de requerentes de asilo e migrantes.”

Na noite do dia 22 de março, MSF encerrou todas as atividades relacionadas com o acampamento de Moria, incluindo o transporte de refugiados ao centro de recepção e as atividades de água e saneamento e a clínica média em seu interior. MSF continuará administrando seu centro de trânsito em Mantamados, onde, atualmente, pessoas recém-chegadas recebem assistência primária, e suas atividades de resgate no mar, no norte das praias de Lesbos. A organização também continuará administrando clínicas móveis na ilha de Lesbos para aqueles que estão estabelecidos fora do acampamento.

Desde julho de 2015, MSF ofereceu consultas médicas, apoio de saúde mental, distribuiu itens de primeira necessidade e conduziu atividades de água e saneamento no acampamento de Moria, em Lesbos. MSF realizou 24.314 consultas na ilha de Lesbos, das quais 12.526 foram em Moria. Psicólogos de MSF prestaram assistência a 401 pessoas por meio de sessões individuais e conduziram 584 sessões em grupo, com 3.532 participantes. As equipes também estão fornecendo abrigo temporário e transporte ente o norte e os centros de registro de Moria e Kara Tepe, no sul da ilha. Até o dia 13 de março, MSF havia transportado 12.952 pessoas recém-chegadas.

Leia mais sobre