Você está aqui

Grécia: equipes de MSF ajudam a criar acampamento de trânsito para refugiados que chegam a Idomeni

28/09/2015
Milhares de pessoas que tentavam cruzar a fronteira enfrentavam condições precárias devido à escassez de instalações na região

Foto: Borja Ruiz Rodriguez/MSF

Uma equipe de logísticos da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) ajudou na construção de um acampamento de trânsito com capacidade para acomodar mais de mil pessoas na região de Idomeni, na Grécia, próximo da fronteira com a Antiga República Iugoslava da Macedônia (FYROM, em inglês). MSF estruturou quatro tendas de 240 m2 e duas de 45 m2 para serem usadas no desenvolvimento de atividades médicas da organização. O acampamento também está equipado com instalações de saneamento básico e suprimento de água. As estruturas servirão como abrigo temporário para os milhares de refugiados e imigrantes que passam pela região todos os dias.

Na medida em que Idomeni é um vilarejo pequeno e remoto com capacidade limitada de abrigar pessoas, os que chegam ali têm de se submeter a condições esquálidas. Muitos decidem ficar do lado de fora, em meio à mata, ou mesmo na estação de trem, sem qualquer abrigo ou com pouco acesso a alimentos e instalações de higiene. Com a proximidade do inverno, as pessoas vão enfrentar condições ainda piores. Ultimamente, as equipes de MSF têm testemunhado um aumento dramático do número de refugiados cruzando a fronteira. Por vezes, cerca de 5 mil pessoas o fizeram todos os dias.

“Após muitos meses de esforços coordenados e negociações com as autoridades, estamos satisfeitos por termos criado este acampamento de trânsito para refugiados e imigrantes”, diz Antonis Rigas, coordenador do projeto de MSF em Idomeni. “Com outros países europeus fechando suas fronteiras, tememos um efeito dominó que leve a Antiga República Iugoslava da Macedônia a fazer o mesmo. O novo acampamento é um passo positivo rumo à melhoria das acomodações e instalações de higiene para o caso de as pessoas ficarem encurraladas aqui.”

Em 21 de agosto, o país decidiu fechar suas fronteiras com a Grécia temporariamente, gerando uma situação caótica em Idomeni, com mais de 3 mil pessoas sendo violentamente privadas pelos guardas da fronteira do país de cruzarem-na, ficando encurraladas por dias, sem acesso a abrigo, instalações de saúde ou alimentos.

“As cenas chocantes que vimos em agosto foram resultado das medidas extremas para impedir pessoas desesperadas de fugirem da violência e da guerra cruzando fronteiras”, afirma Aurelie Ponthieu, especialista no deslocamento de populações de MSF. “Mas o fechamento de fronteiras e o uso de violência não são a solução e só provocam uma crise humanitária no outro lado.”

Desde abril de 2015, MSF oferece consultas médicas, suporte psicológico e itens de primeira necessidade na região de Idomeni, na fronteira entre a Grécia e a Antiga República Iugoslava da Macedônia. De 3 de abril a 31 de agosto, MSF ofereceu cuidados de saúde primária a 4.060 pessoas e encaminhou 53 a hospitais locais. 3.906 pessoas participaram de consultas de saúde mental individuais e em grupo. A equipe também distribuiu 7.918 itens de primeira necessidade, como produtos de higiene, alimento terapêutico, cobertores e meias.

Leia mais sobre