Você está aqui

Geórgia: futuro de desalojados pela guerra continua incerto

10/10/2008
Em Gori e Tbilisi, equipes de MSF continuam a oferecer cuidados médicos e psicológicos para a população necessitada

Enquanto a situação na Geórgia parece ter se estabilizado com o recuo das forças russas de seu território, o futuro das pessoas desalojadas pela guerra continua incerto. De acordo com as autoridades georgianas, aproximadamente 60 mil pessoas ainda estão desabrigadas dentro do país, vivendo em prédios públicos ou em acampamentos. Médicos Sem Fronteiras (MSF), que tem tratado pacientes infectados com tuberculose multi resistente na Geórgia há vários anos, tem conseguido oferecer assistência à população civil desde o princípio das hostilidades no início de agosto.

Cuidados médicos e psicológicos para pessoas desalojadas em Gori. Situada entre Tbilisi e Ossétia do Sul, a cidade de Gori atualmente abriga cerca de sete mil pessoas desalojadas, principalmente das vilas adjacentes e da própria Ossétia do Sul. Desde o início de setembro, MSF tem oferecido assistência médica a essas pessoas em cerca de 30 assentamentos temporários. Três equipes médicas se revezam em diferentes locais e, se necessário, encaminham pacientes a policlínica central.Dessa forma, 1,2 mil consultas médicas foram dispensadas em um mês.
Desde 8 de setembro, uma equipe de psicólogos também tem visitado regularmente os desabrigados. Aproximadamente 600 pessoas já fazem parte das sessões em grupo organizadas por equipes de MSF, e cerca de cem pessoas receberam atendimento psicológico individual.

Distribuição de cobertores. Mesmo com uma mobilização internacional considerável apoiando a Geórgia, e a presença em massa de trabalhadores humanitários no grupo, alguns itens essenciais ainda não alcançaram os desabrigados. Em Gori, à medida que o inverno se aproxima, um grande número de pessoas ainda não tinha recebido cobertores; consequentemente as equipes de MSF distribuíram quase dois mil.

Suprimentos médicos para o distrito de Mejereskhivi, a "zona divisória" entre Geórgia e Ossétia do Sul. No meio de setembro, vários medicamentos foram doados à clínica do distrito, particularmente para pacientes sofrendo de patologias crônicas. Quase 600 desses pacientes devem, assim, receber seu tratamento. Outra doação está planejada para que a clínica possa continuar a atender suas necessidade pelos próximos três meses.

Assistência médica para desalojados em Tbilisi. As equipes de MSF, que estão trabalhando entre pessoas desalojadas em Tbilisi desde o início de agosto, continuam a oferecer cuidados médicos em nove assentamentos, acolhendo quatro mil pessoas. Em setembro, 1,2 mil consultas médicas já foram feitas. Um quarto delas envolvia pacientes sofrendo de patologias crônicas. Receberam também suporte psicológico 140 pessoas.

MSF está tratando de pacientes que sofrem de tuberculose multi-resistente na Geórgia há vários anos. Os dois programas regulares, um deles situado na região autônoma de Abkházia, continuam a funcionar normalmente.