Você está aqui

Egito: suporte a hospitais e antecipação de necessidades

22/08/2013
MSF segue monitorando a resposta do sistema de saúde público e privado do país à crise atual, pronta para agir em caso de necessidade

Desde a escalada da violência política no Egito, no final de junho, equipes da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) têm estado em contato próximo e constante com as principais instalações de saúde públicas e privadas por toda a cidade do Cairo e demais regiões do país afetadas. A equipe tem fornecido suprimentos médicos e equipamentos para os estabelecimentos de saúde em ambos os lados dos confrontos.


MSF está em contato com uma rede de médicos egípcios voluntários que estão tentando atender as necessidades diretas das vítimas nos locais onde os confrontos ocorrem, assim como em hospitais públicos que recebem feridos. A equipe de MSF identifica lacunas específicas ou necessidades, como a escassez de medicamentos ou suprimentos cirúrgicos, e provê suporte oportuno, quando necessário. Mais recentemente, a organização facilitou a doação de medicamentos, suprimentos médicos e equipamentos cirúrgicos ao Hospital Al Hussein, no centro do Cairo, e ao Hospital Al Arish, na região de Sinai, no norte do país. Também foram realizadas doações de medicamentos e suprimentos para um grupo de médicos que mantém uma clínica próximo a locais onde houve violência.


“Nossa prioridade é garantir que o sistema de saúde egípcio e a sociedade civil estejam lidando de forma adequada com o influxo de feridos e que as pessoas que precisam de cuidados possam ter acesso a eles”, afirma Mario Stephan, coordenador operacional de MSF. “Tem havido uma mobilização significativa tanto do sistema público de saúde quanto de organizações da sociedade civil. E, até o momento, eles foram capazes de responder às necessidades médicas resultantes da crise atual.”


Além dos hospitais públicos, hospitais de campo adicionais foram estruturados por organizações locais para tratar os feridos. “Quando ocorrem confrontos, o acesso às regiões afetadas é extremamente difícil, por vezes impossível, devido aos bloqueios nas estradas e à insegurança”, diz Mario. “É por isso que, geralmente, são os médicos que já estão presentes no local que fornecem assistência médica imediata.”


Antecipando as manifestações de 30 de junho, e antes da última onda de violência, MSF ofereceu treinamento, equipamento médico e medicamentos a médicos egípcios voluntários para capacitá-los a responderem rápida e adequadamente às necessidades médicas em campo durante as manifestações. MSF também conduziu treinamentos para o pessoal do Ministério da Saúde egípcio voltados para a resposta efetiva em caso de um grande influxo de pacientes feridos.


MSF continua monitorando de perto a situação no Cairo e em todo o país, e está pronta para oferecer assistência adicional em caso de identificação de lacunas na provisão de cuidados de saúde.
 
MSF está presente no Egito desde 2010 e, atualmente, mantém duas clínicas de saúde materno-infantil na região da Grande Cairo, além das atividades de resposta a emergência atuais.