Você está aqui

Ebola: Guiné está próxima do fim da epidemia

18/11/2015
A neném Nubia, último caso registrado no país, testou negativo para a doença

Foto: Samuel Aranda

Profissional de MSF é desinfectado após sair da zona de alto risco do centro de tratamento de Ebola de MSF em Concacri, capital da Guiné (Foto: Samuel Aranda)A Guiné começou sua contagem regressiva de 42 dias para chegar à marca de zero casos de Ebola, quando, enfim, será declarada oficialmente livre do vírus. O país é o último a ainda enfrentar a epidemia, que já tirou mais de 11 mil vidas na África Ocidental desde março de 2014. O governo e a comunidade local têm trabalhado duro junto à organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) para alcançar esse resultado. “No entanto, devemos permanecer atentos ao possível surgimento de novos casos, para que nossas conquistas não sejam destruídas”, disse Laurence Sailly, coordenador de emergência de MSF na Guiné.

Nubia é visitada pela sua tia, Adama, no centro de tratamento de Ebola em Conacri (Foto: Tommy Trenchard)O último caso de Ebola registrado na Guiné foi o de Nubia, uma paciente de apenas 21 dias, cuja mãe foi infectada pela doença e morreu no dia 27 de outubro em Conacri. A bebê respondeu bem aos cuidados que recebeu no centro de tratamento de Ebola de MSF na capital do país. A organização está muito feliz com a notícia de que Nubia testou negativo para o vírus, mas, como ela é o primeiro bebê a ter se recuperado, continuará recebendo cuidados médicos especializados antes de voltar para casa.

“Eu senti uma emoção muito grande quando a vi”, disse Adama, tia de Nubia. “A última vez que a visitei [quando a menina estava com Ebola], ela estava tão diferente. Agora ela parece tão saudável. Eu vou contar para o restante da família agora mesmo. Nós não achávamos que ela iria sobreviver. Mas agora ela está em boas mãos. E é uma guerreira.”