Você está aqui

A crescente violência impede que a ajuda humanitária chegue aos mais necessitados

11/08/2006
Devido aos constantes ataques aéreos, cada vez mais pessoas estão deixando Beirute. MSF enfrenta dificuldades em todo o Líbano para atender os milhares de desabrigados

O aumento da violência está tornando extremamente difícil o acesso de MSF a pessoas em grande parte do Líbano, especialmente no sul e no leste do Vale de Bekaa. Milhares de pessoas ainda estão presas em vilas no sul do país, enquanto cada vez mais hospitais enfrentam escassez de alimentos, medicamentos e suprimentos médicos. Mais pessoas estão deixando Beirute devido aos ataques aéreos contínuos. A segurança e as condições de vida de milhares de desabrigados na capital do Líbano estão piorando.

Menos pessoas conseguiram chegar ao ambulatório MSF no Hospital Bashour, em Sour (Tiro) devido à deterioração da segurança no sul. Muitas pessoas andam longas distâncias das vilas. O número de pacientes caiu pela metade, sendo realizadas cerca de 50 consultas por dia; os principais problemas de saúde são infecções respiratórias, diarréia e doenças da pele. MSF aperfeiçoou as salas cirúrgicas do hospital e mantém o material médico pronto para fornecer capacidade cirúrgica adicional de emergência, caso mais pessoas fiquem feridas.

Equipes móveis também estão saindo duas vezes por semana para levar atendimento médico aos desabrigados em centros coletivos em Sour (cerca de cem consultas clínicas são realizadas por dia).
MSF ofereceu material de emergência médica e remédios para doenças crônicas para todos os quatro hospitais da cidade. Medicamentos para os doentes crônicos também foram distribuídos em dez vilarejos nos arredores de Sour. Equipes de MSF distribuíram kits de higiene e outros suprimentos para três mil desabrigados em Sour e em proximidades. Fórmula para leite infantil e fraldas também foram providenciadas para mil bebês.

Perto da fronteira israelense, MSF forneceu medicamentos para a equipe médica em Bent Jbail e Aaitaroun. Em Tebnine, passagem central para pessoas que estão deixando a região, MSF providenciou consultas e entregou grande parte do material cirúrgico necessário, assim como pão, para o hospital local.

Desde que as últimas pontes sobre o Rio Litani foram destruídas por ataques aéreos, é impossível chegar ao sul de caminhão. Para garantir a entrega de suprimentos no Tiro e arredores, MSF levou mais de uma vez a ajuda médica e combustível para a margem norte, transportando manualmente os suprimentos através do rio e colocando-os nos veículos parados do outro lado.

Em Saïda, 30 mil pessoas internamente desabrigadas (IDP, na sigla em inglês) foram registradas em centros coletivos, e cerca de 70 mil em casas privadas. Em cada um de seus três ambulatórios, MSF está atendendo cerca de 40 pacientes por dia. MSF também conta com clínicas móveis que oferecerem serviços básicos de saúde e tratamento de doenças crônicas para cerca de 2.500 IDPs em cinco centros coletivos. Crianças estão sendo vacinadas contra sarampo e pólio. Kits de higiene e de cozinha, cobertores, lençóis e fórmula de leite infantil foram distribuídos para 20 mil desabrigados em Saïda.

Mais ao leste, MSF distribuiu outros itens não alimentares para 8.700 desabrigados na região de Jezzine, onde aproximadamente 20 mil desabrigados estão registrados. MSF abastece um total de sete hospitais na cidade de Jezzine, em Nabatiye, Jobb Jannine, Qaraaoun e Niha, quando o fornecimento é interrompido.

A cidade de Sibline, ao nordeste de Saïda, tem um novo e bem equipado hospital, mas sofre com a falta de equipe médica e ainda não está operando. MSF está preparando dez das 40 camas desse estabelecimento e deve conseguir realizar cirurgias, caso seja necessário.

A situação de cerca de 250 mil desabrigados na região de Aley (Montanha Chouf) está piorando. Todos os prédios públicos estão ocupados por desabrigados e as pessoas continuam a chegar a cada dia. Eles são forçados a buscar refúgio em edifícios em construção e em ruínas das guerras passadas. As vilas no sudoeste de Aley em particular ( El Qmatiye, Kaifoun e Souq el Gharb) abrigam grande concentração de desabrigados. Somente nesta quinta-feira à noite, cerca de 320 famílias chegaram nos vilaerjos de El Qmatiye e Kaifoun após ataques em Beirute. MSF providenciou material de emergência - como colchões, materiais de cozinha e kits de higiene -para os recém-chegados. No total, MSF já distribuiu itens não alimentícios para oito mil desabrigados na área e abastece com medicamentos para os doentes crônico as farmácias locais em El Qmatiye e Kaifoun

Em Beirute, a qualidade de vida de mais de cem mil desabrigados internos, que buscam abrigo em escolas e prédios públicos, está rapidamente se deteriorando. Com muito pouco espaço sobrando, os recém-chegados estão começando a ocupar parques, estádios e estacionamentos. Duas clínicas móveis garantem os cuidados de saúde básicos e a provisão de medicamentos para doenças crônicas em dez centro de IDP, que abrigam cerca de 4.500 pessoas.
Além disso, MSF está abastecendo duas clínicas móveis locais dirigidas por ONGs locais.

Cerca de 20% a 30% de todas as consultas estão relacionadas a problemas de saúde mental, por isso os psicólogos começaram a oferecer apoio psicológico, especialmente para crianças. A maior parte dos casos de saúde mental está relacionado a traumas de guerra. Além disso, apesar de continuarmos a ver um grande número de paciente com doenças crônicas, também notamos um aumento significante no número de pessoas sofrendo de doenças agudas, como infecções respiratórias, diarréia e doenças de pele.

Materiais humanitários também estão sendo distribuídos para as pessoas. O suprimento de água limpa também se tornou uma prioridade. MSF começou a usar caminhões-pipa e está montando reservatórios de água.

Como foi descrito acima, as equipes MSF têm distribuído material emergencial para os mais necessitados em diferentes locais. No total, cerca de 44 mil desabrigados no Líbano e 8.500 refugiados na Síria receberam itens não alimentícios como equipamento de cozinha, colchões, cobertores, fogões e kits de higiene contendo sabonete, lâminas de barbear, escovas de dente, entre outros. As equipes MSF também estão aperfeiçoando unidades de água e sanitária em locais onde os desabrigados se aglomeraram.

A equipe médica libanesa ainda está arcando com a maior parte das necessidades médicas, mas os remédios, incluindo os para tratamento de doenças crônicas, estão se tornando cada vez mais escassos. MSF forneceu material para cinco mil tratamentos de hemodiálise para os que têm doenças renais. As equipes MSF estão trabalhando com médicos libaneses para montar clínicas móveis para atender a crescente demanda de cuidados médicos para os desabrigados.

Suprimentos ainda estão chegando da Europa aos países vizinhos, onde bases de mantimentos foram montadas. Até agora, 230 toneladas de material chegaram em Beirute, mas ainda precisam chegar em outros locais onde MSF está trabalhando. Esse material é composto em sua maioria de itens não alimentícios (kits de higiene, de cozinha, cobertores, tentas e colchões), material médico (para hemodiálise, remédios, kits cirúrgicos, etc) e material logístico (equipamento de saneamento, balões d'água,carros, etc).

Estima-se que cerca de 200 mil refugiados libaneses tenham migrado para a Síria, muitos deles encontrando refúgio com parentes ou amigos. Cerca de 35 mil também conseguiram encontrar abrigo em escolas e prédios públicos. Equipes MSF começaram a atender as necessidades de refugiados em Damasco e estão providenciando material humanitário.

Leia mais sobre