Você está aqui

COVID-19: atendimento domiciliar foi destaque do programa de MSF em Porto Rico

10/11/2020
Após conclusão do projeto, serviços de saúde continuarão sendo prestados por uma organização local
COVID-19: atendimento domiciliar foi destaque do programa de MSF em Porto Rico

Foto: Gabriella N. Báez/MSF

MSF concluiu sua resposta de emergência contra a COVID-19 em Porto Rico, onde forneceu assistência médica e humanitária a pessoas sem acesso ao sistema de saúde. O trabalho de atendimento domiciliar e monitoramento contra o novo coronavírus para pessoas isoladas em casa continuará sendo feito pela organização recém-formada Puerto Rico Salud, que foi criada por um grupo de profissionais porto-riquenhos de MSF.

“Estabelecemos um programa único de consulta médica para ajudar pessoas que vivem em comunidades situadas em áreas remotas”, afirma Sophie Delaunay, coordenadora do projeto de MSF em Porto Rico. “Esse programa ficou conhecido das comunidades. À medida que MSF conclui seu programa, estamos aliviados em saber que nossa equipe continuará esse trabalho por meio de sua nova organização, Puerto Rico Salud, para que nossos pacientes recebam cuidados de acompanhamento e novos pacientes recebam cuidados quando necessário”.

O programa de atendimento domiciliar de MSF, projetado para cuidar de pessoas sem acesso ao sistema de saúde, atendeu mais de 1.200 pacientes desde que começou em meados de junho. A maioria dos pacientes era adultos mais velhos que sofriam de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão - duas condições médicas subjacentes que aumentam o risco de complicações graves da COVID-19. A cada dia, uma equipe composta por um médico e uma enfermeira viajava para uma área diferente para ir de porta em porta, tratando pacientes dentro de suas casas ou em uma clínica móvel.

O programa de monitoramento contra a COVID-19 de MSF consistia em um sistema de check-in de 14 dias para pessoas com teste positivo e sintomas leves ou moderados, ou para aquelas que eram assintomáticas. Uma enfermeira acompanhava cada paciente diariamente para revisar os sinais vitais e de perigo e fornecer educação em saúde sobre o vírus, transmissão, gerenciamento de sintomas e como isolar e manter suas famílias seguras. Se os sintomas se agravassem ou os pacientes precisassem de medicação, eles eram encaminhados a um hospital ou a um médico de atenção primária. A equipe médica de MSF também monitorou a saúde psicossocial dos pacientes durante esse período.

MSF respondeu pela primeira vez ao surto de COVID-19 em Porto Rico em meados de maio, distribuindo 30 mil itens de equipamentos de proteção individual (EPI) para hospitais e clínicas. Simultaneamente, iniciou a realização de treinamentos de prevenção e controle de infecção (IPC) e “Treinamento de Formadores”. MSF ministrou 11 treinamentos de IPC em oito centros de saúde para 100 participantes. Durante esse período, MSF também realizou Treinamento de Primeiros Socorros Psicológicos (PFA) para 20 participantes de instituições de saúde e organizações locais.

Além disso, MSF preparou 5 mil kits de higiene para dar às pessoas que viviam em situação de rua e outras que viviam em comunidades pobres ou isoladas, e conduziu sessões de educação sobre saúde em comunidades vulneráveis, incluindo a encomenda de murais para promover medidas de segurança, como uso de máscaras, lavagem das mãos e quarentena.

 

“Os programas de MSF foram realizados em estreita colaboração com organizações comunitárias bem estabelecidas e provedoras de saúde locais”, informa Delaunay. “E por causa disso, fomos capazes de ser rápidos.”

MSF fez parceria com líderes comunitários de San Juan, Loíza, Arecibo, Ciales, Ponce, Utuado, Humacao, Yabucoa e Vieques para alcançar pacientes em áreas remotas e isoladas. MSF fez parceria com muitas organizações locais, incluindo Taller Salud, um grupo focado em melhorar o acesso das mulheres aos cuidados de saúde, e Coalicion de Coaliciones, uma organização que atende pessoas que vivem nas ruas em 54 municípios.

 “Sabemos que a crise não acabou e que muitas pessoas em Porto Rico não têm acesso adequado aos cuidados de saúde”, avalia Delaunay. “A COVID-19 expôs muitos problemas que precisam ser resolvidos para que as pessoas que adoecem, seja por esse vírus ou outras doenças, possam ter acesso a cuidados médicos. Concluímos nosso programa com a certeza de que no dia seguinte após a partida de MSF, nossa ex-equipe médica, por meio de seu grupo recém-formado, Puerto Rico Salud, continuará o trabalho.”

Em todos os lugares em que trabalhamos, MSF viu como essa pandemia está afetando comunidades vulneráveis ​​e marginalizadas. MSF está garantindo que todos os seus projetos estejam prontos para a COVID-19, mantendo a prioridade em seus outros programas médicos essenciais. Nos Estados Unidos, MSF realizou vários programas de COVID-19, todos já concluídos, incluindo para trabalhadores rurais migrantes na Flórida, pessoas sem teto em Nova York, idosos e residentes em lares de longa permanência e centros de assistência em Michigan e no Texas, pessoas vulneráveis ​​e marginalizadas em Porto Rico, e trabalhando com comunidades indígenas americanas.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar