Você está aqui

Civis são alvo de bombardeio intenso em Idlib, na Síria

10/01/2013
Organização humanitária Médicos Sem Fronteiras diz estar observando estratégia terrorista por parte do governo sírio

No norte da província de Idlib, na Síria, civis estão sendo vítimas de uma estratégia terrorista de bombardeios intensos e indiscriminados, de acordo com a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF).

À medida que os confrontos se intensificam ao norte da estrada que liga Aleppo a Idlib, forças do governo estão bombardeando cidades e vilarejos indiscriminadamente. Uma equipe de MSF acaba de retornar de uma cidade no norte da província de Idlib que fora bombardeada repetidas vezes nos últimos meses. A única instalação médica ainda em funcionamento na cidade é uma clínica secreta administrada por cidadãos locais e alguns agentes de saúde sírios. Sob fogo intenso, a equipe de voluntários da clínica batalha para tratar um grande número de pessoas feridas e assume riscos ao manter a clínica em operação e evacuando aqueles mais seriamente feridos para hospitais fora da cidade.
 
“Para uma cidade que observou grande parte de sua população partir e recebeu pessoas deslocadas de outras áreas bombardeadas, há um impressionante senso de solidariedade”, diz Dr. Adrien Marteau, integrante da equipe de MSF. “As pessoas estão assumindo atividades de enfermeiros e até cirurgiões, para procedimentos mais simples, porque simplesmente não há mais ninguém para fazer isso.”
 
“Mas diante da seriedade dos ferimentos e dos riscos envolvendo a evacuação dos pacientes, muitos  feridos estão morrendo devido à falta de acesso a tratamento ou à impossibilidade de serem evacuados a tempo”, conta Dr. Marteau. “A maioria dos pacientes admitidos no hospital de MSF na província de Idlib é dessa área e está gravemente ferida.”

Nos últimos 18 meses, moradores da cidade, com a ajuda da equipe médica local e de agentes comunitários, têm feito o possível para apoiar uns aos outros, apesar dos perigos físicos e da escassez de suprimentos essenciais como água potável, pão e leite em pó. Não há energia elétrica na região e o preço do gás aumentou muito. Comitês voltados para o bem-estar comunitário estão dando suporte a cerca de 1.300 famílias desamparadas que deixaram para trás suas casas, membros da família e fonte de renda.
 
Nas cidades e vilarejos ao redor da cidade de Idlib, os cada vez mais intensos e indiscriminados bombardeios por parte das forças do governo estão ameaçando as vidas de pessoas comuns. O coordenador de operações de emergência de MSF, Dr. Mego Terzian, diz: “à medida que estamos proibidos de atuar do lado das forças do governo, não é possível termos uma visão imparcial da situação. Mas tem de ser dito que estamos observando uma verdadeira estratégia terrorista, orquestrada pelo governo sírio, contra as pessoas desta região”.
 
MSF está atuando em três hospitais do norte e do nordeste da Síria, em áreas controladas por grupos armados da oposição. A organização está oferecendo cuidados médicos de emergência, serviços cirúrgicos especializados e conduzindo consultas. De junho do ano passado ao início de janeiro de 2013, nossas equipes realizaram mais de 10 mil consultas e mais de 900 intervenções cirúrgicas. Em países vizinhos, como Jordânia, Líbano e Iraque, estamos também provendo serviços médicos e cirúrgicos para refugiados sírios.

Leia mais sobre