Você está aqui

Cessar-fogo melhora acesso a desabrigados no Líbano

15/08/2006
Logo depois que a medida entrou em vigor, milhares de desabrigados começaram a deixar os centros coletivos para tentar voltar para casa

Um mês após o início da guerra, o cessar-fogo foi retomado para tentar acalmar Israel e Líbano. Nos dias anteriores à medida, intensos confrontos e bombardeios tornaram extremamente difícil para MSF alcançar as pessoas em várias áreas do Líbano, especialmente no sul e no leste do Vale de Bekaa. Horas após o cessar-fogo entrar em vigor, milhares de desabrigados começaram a voltar para suas casas. Apesar dos conflitos poderem estourar a qualquer momento e munições não detonadas ainda estarem nas estradas, nos campos e cidades, os desabrigados estão ansiosos para deixar os centros coletivos onde a condição de vida é difícil.

Até segunda-feira, os quatro hospitais de Tiro estavam lutando para se manter em atividade, enfrentando escassez de comida, combustível e suprimentos médicos. Apesar dos tiroteios e ataques aéreos freqüentes na cidade e em seus arredores, MSF abasteceu os hospitais com material de emergência médica e lençóis, além de distribuir cobertores para os desabrigados que se refugiaram nos prédios do hospital. MSF também aperfeiçoou as unidades cirúrgicas do Hospital Bashour e mantém o material médico pronto para aumentar a capacidade cirúrgica, caso a onda de violência seja retomada.

Equipes móveis continuam a sair duas vezes por semana para levar atendimento médico às pessoas que buscaram abrigo nos centros coletivos em Tiro (cada clínica móvel realiza cerca de cem consultas por dia). Medicamentos para os doentes crônicos foram levados para dez vilarejos nos arredores de Tiro. Equipes de MSF distribuíram kits de higiene e outros suprimentos a três mil desabrigados em Tiro e em áreas vizinhas. Leite em pó e fraldas foram distribuídas para mil bebês.

Perto da fronteira israelense, MSF forneceu medicamentos para os hospitais de Tebnine – atingidos e parcialmente destruídos no domingo – e também em Bent Jbail, para onde a equipe médica voltou na segunda-feira depois que a região teve de ser esvaziada devido aos confrontos.

Em Saïda, 30 mil desabrigados internos foram admitidos em centros coletivos e cerca de 70 mil em moradias privadas. Em cada um de seus três ambulatórios, MSF está atendendo cerca de 40 pacientes por dia. MSF também administra clínicas móveis que oferecem serviços básicos de saúde e tratamentos para doenças crônicas para cerca de 2.500 desabrigados internos em cinco centros coletivos. Crianças estão sendo vacinadas contra sarampo e pólio. Kits de higiene e de cozinha, cobertores, lençóis e leite em pó foram distribuídos para 20 mil desabrigados em Saïda.

Mais ao leste, MSF distribuiu 3.300 colchões, 850 latas de leite em pó e 500 kits de higiene para locais na região de Jezzine, onde cerca de 20 mil desabrigados estão vivendo. MSF abastece um total de sete hospitais nas cidades de Jezzine, Nabatiye, Jobb Jannine, Qaraaoun e Niha, quando o fornecimento de medicamentos é interrompido.

As condições de cerca de 250 mil desabrigados na região Aley (Montanha Shouf) estão sutilmente melhorando. Muitos dos desabrigados dos subúrbios do sul de Beirute começaram a retornar. MSF continua a dar assistência nas cidades onde a concentração de desabrigados permanece alta, em particular nos vilarejos do sudoeste de Aley. MSF distribuiu leite em pó e suprimentos de emergência, como colchões e kits de cozinha, limpeza e higiene. No total, mais de dez mil desabrigados que vivem na área receberam itens não comestíveis. MSF está tratando e fornecendo água potável para os desabrigados que estão nos centros coletivos de Aley e nos vilarejos de Kaifoun e El Qmatiye. Em cooperação com as autoridades sanitárias libanesas, foi implementado um sistema para rastrear pacientes com doenças crônicas, como diabetes, epilepsia e problemas cardíacos. MSF providenciou consultas em clínicas fixas e visitas a domicílio para 130 desses pacientes e está distribuindo medicamentos necessários para os Hospital de Aley e para várias outras clínicas.

Alguns dos mais de cem mil desabrigados internos em Beirute começaram a voltar para casa, imediatamente depois do cessar-fogo. Com isso, alguns centros coletivos ficaram quase totalmente vazios. Duas clínicas móveis de MSF garantem assistência de saúde básica, realizando cerca de 650 consultas por semana e distribuindo remédios para doenças crônicas em locais onde vivem cerca de 4.500 desabrigados.

Além disso, MSF está abastecendo duas clínicas móveis administradas por ONGs locais. Entre 20% e 30% de todas as consultas realizadas são relacionadas a problemas de saúde mental. Psicólogos começaram a oferecer apoio psicossocial para crianças e adultos. A maioria dos casos está relacionado a trauma de guerra. Além disso, apesar de continuarmos a atender um grande número de pacientes com doenças crônicas, também notamos um aumento significante no número de pessoas sofrendo de doenças agudas, como infecções respiratórias, diarréia e problemas de pele. MSF está fornecendo água potável e distribuindo cerca de 1.250 colchões, 1.350 kits de higiene e 250 kits infantis, assim como extintores de incêndio e cestos de lixo.

Em Baalbek, equipes MSF distribuíram cerca de 500 kits de higiene e cobertores nos últimos dois dias para desabrigados da cidade e dos vilarejos por perto. Além disso, as consultas em ambulatórios foram retomadas no hospital do Ministério da Saúde em Baalbek, com médicos do ministério e de MSF trabalhando juntos.

Estima-se que cerca de 200 mil refugiados libaneses tenham migrado para a Síria, muitos deles encontrando refúgio com parentes ou amigos. Cerca de 35 mil também conseguiram encontrar abrigo em escolas e prédios públicos. Equipes MSF começaram a atender as necessidades de refugiados em Damasco e estão providenciando material humanitário.

Como foi descrito acima, as equipes MSF têm distribuído material emergencial para os mais necessitados em diferentes locais. No total, cerca de 44 mil desabrigados no Líbano e 8.500 refugiados na Síria receberam itens não alimentícios como equipamento de cozinha, colchões, cobertores, fogões e kits de higiene contendo sabonete, lâminas de barbear, escovas de dente, entre outros. As equipes MSF também estão aperfeiçoando unidades de água e saneamento em locais onde os desabrigados se aglomeraram.

A equipe médica libanesa ainda está arcando com a maior parte das necessidades médicas, mas os remédios, incluindo os para tratamento de doenças crônicas, estão se tornando cada vez mais escassos. MSF forneceu material para cinco mil tratamentos de hemodiálise para os que têm doenças renais. As equipes MSF estão trabalhando com médicos libaneses para montar clínicas móveis para atender a crescente demanda de cuidados médicos para os desabrigados.

Suprimentos ainda estão chegando da Europa aos países vizinhos, onde bases de mantimentos foram montadas. Até agora, 310 toneladas de material chegaram em Beirute, mas ainda precisam chegar em outros locais onde MSF está trabalhando. Esse material é composto em sua maioria de itens não alimentícios (kits de higiene, de cozinha, cobertores, barracas e colchões), material médico (para hemodiálise, remédios, kits cirúrgicos, etc) e material logístico (equipamento de saneamento, balões d'água, carros, etc).

Leia mais sobre