Você está aqui

Afeganistão: MSF trata feridos após protestos em Kunduz

27/02/2012
Equipes da organização atenderam 50 pacientes – a maioria com ferimentos à bala – e realizaram 14 cirurgias em apenas um dia

Como consequência dos violentos protestos na base aérea de Bagram, no Afeganistão, devido à queima de cópias do Alcorão, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) recebeu 50 pacientes no seu hospital cirúrgico na província de Kunduz, no norte do país.  

 
Os protestos aconteceram por todo país na última semana, desde que os relatos das queimas dos livros tiveram início. A violência em Kunduz se agravou ontem, quando os manifestantes tentaram invadir um edifício da ONU na província.  
 
 “Tudo aconteceu muito rápido. Logo após o inicio dos protestos, nós atendemos quase 30 pacientes em apenas uma hora. A maioria deles estava em condição crítica, precisando urgentemente de assistência médica”, disse Silvia Dallatomasina, coordenadora médica de MSF em Kunduz. 
 
O hospital cirúrgico de MSF recebeu 50 pacientes no total, dentre os quais 39 foram internados. A maioria sofria de ferimentos causados por armas de fogo. Três pacientes morreram; os demais foram estabilizados e receberam tratamento ou foram encaminhados para o hospital regional. Equipes cirúrgicas de MSF realizaram 14 operações ao longo do dia, inclusive cirurgias vasculares e tratamento de fraturas causadas pelos tiros. 
 
Desde agosto de 2011, MSF está gerenciando um hospital cirúrgico na província de Kunduz, onde oferece atendimento cirúrgico de emergência e tratamento pós-cirúrgico para os feridos nos conflitos da região, bem como para pessoas com ferimentos graves. Desde sua abertura, centenas de pessoas já foram tratadas no hospital, que é a única instalação especializada em atendimento cirúrgico no norte do Afeganistão.
 
No Afeganistão, todos os tipos de armamentos são estritamente proibidos em todas as instalações nas quais MSF trabalha, para garantir a segurança e a integridade dos pacientes e das equipes.
 
Equipes da organização também estão presentes no hospital de Ahmed Shah Baba, em Cabul, e no hospital de Boost, na cidade de Lashkar Gah, capital da província de Helmand. Assim como em Kunduz, MSF também oferece assistência médica gratuita nessas duas instalações, trabalhando em todas as alas dos dois hospitais. Além disso, a organização ainda planeja inaugurar um hospital maternidade na província de Khost, já no ínicio de 2012. 
 
Para realizar suas atividades no Afeganistão, MSF utiliza apenas recursos obtidos por meio de doações privadas, e não aceita nenhum financiamento governamental.

Leia mais sobre