Você está aqui

Afeganistão: MSF recebe 66 pacientes após confrontos pesados em Kunduz

28/09/2015
MSF lançou plano de gestão de vítimas em massa para lidar com influxo de feridos

Foto: Andrew Quilty / Oculi/Oculi

Após confrontos pesados tomarem Kunduz, no Afeganistão, o centro de trauma da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na cidade recebeu 102 pacientes somente na manhã do dia 28 de setembro e está operando em capacidade máxima. Um plano para o manejo de vítimas em massa foi lançado para lidar com o influxo intenso de pacientes feridos.

“Trinta e seis pacientes chegaram em estado grave, com ferimentos abdominais e na cabeça graves. Nós estruturamos 18 leitos extras, elevando a capacidade máxima para um total de 110 leitos [no centro de trauma], a fim de lidar com o nível de admissões sem precedentes”, diz Guilhem Molinie, representante de MSF no Afeganistão. “O hospital de MSF é a única instalação desse tipo em toda a região nordeste do Afeganistão, oferecendo cuidados de trauma de alto nível e gratuitos. Nossos médicos tratam todas as pessoas de acordo com suas necessidades médicas e não fazem distinções baseadas na raça, etnia, religião ou afiliação política dos pacientes.”

MSF atua no Afeganistão desde 1980. Em Kunduz, assim como no restante do país, profissionais nacionais e internacionais trabalham juntos para garantir a melhor qualidade de tratamento às pessoas. MSF apoia o Ministério Público da Saúde no hospital de Ahmad Shah Baba, no leste de Cabul, na maternidade de Dasht-e-Barchi, no oeste de Cabul, e no hospital de Boost, em Lashkar Gah, na província de Helmand. Em Khost, no leste do país, MSF administra uma maternidade. A organização conta apenas com financiamento privado para seus projetos no Afeganistão, não aceitando recursos de governo algum.

Leia mais sobre