Você está aqui

Afeganistão: MSF condena atentado contra profissional de ajuda humanitária

03/06/2004
Atentados contra profissionais independentes de ajuda humanitária ameaçam a assistência oferecida aos afegãos mais necessitados, assim como o trabalho humanitário no país, e podem ser considerados crimes de guerra pela legislação internacional.

A organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras lamenta profundamente a perda de cinco profissionais da organização, mortos ontem durante um ataque brutal no Afeganistão. Todos os cinco estavam comprometidos em levar assistência humanitária a populações vulneráveis.

MSF condena veementemente este covarde ataque. As mortes de profissionais humanitários são consideradas crimes de guerra pela legislação internacional.

Os profissionais de MSF foram mortos na quarta-feira à tarde na província de Badguis, no noroeste do Afeganistão. O carro onde eles viajavam sofreu uma emboscada e levou tiros de várias direções. Fragmentos de granadas também foram encontrados incrustados no carro. O fato de nada ter sido roubado do carro é uma evidência clara de que não se trata de um assalto.

O Talibã assumiu a autoria do ataque. MSF não pode confirmar essa informação.

MSF tem uma longa história no Afeganistão e começou a oferecer assistência à saúde no país em 1980. Ao longo dos anos, em diferentes fases do conflito e apesar das mudanças de regime, permanecemos no Afeganistão com um único objetivo: oferecer assistência à população afegã que vem sofrendo com os efeitos de uma guerra crônica. As comunidades onde trabalhamos sempre entenderam o papel de MSF como uma organização humanitária independente.

Este ataque covarde não só ameaça o trabalho independente de profissionais de ajuda humanitária, mas também a assistência oferecida aos afegãos necessitados.

Todas as seções de MSF suspenderam suas atividades, enquanto discutimos de que forma poderemos continuar a oferecer assistência à saúde às pessoas necessitadas sob essas condições.

Leia mais sobre