Você está aqui

5 estratégias de MSF para levar cuidados de saúde mental às pessoas durante a pandemia

16/07/2020
Saiba como as atividades psicossociais estão sendo adaptadas para atender pacientes e profissionais de saúde
5 estratégias de MSF para levar cuidados de saúde mental às pessoas durante a pandemia

Foto: Cristopher Rogel Blanquet/MSF

As consequências econômicas, sociais e psicológicas da pandemia de COVID-19 aumentaram a necessidade de apoio à saúde mental em todo o mundo. MSF precisou adaptar suas atividades para garantir que esses cuidados continuem chegando a quem mais precisa, sejam pacientes, familiares ou profissionais de saúde.

Confira cinco estratégias que adotamos para oferecer serviços de saúde mental durante a crise:

1. Usar a tecnologia como aliada

A tecnologia teve que preencher lacunas, já que o contato pessoal não é recomendável. Para evitar a propagação do novo coronavírus, em vários dos nossos projetos as sessões de acompanhamento com os pacientes foram substituídas por atendimento via telefone. Cuidar da saúde mental é fundamental para a recuperação de pacientes com COVID-19 e, por isso, MSF oferece apoio psicológico remoto também aos familiares de pacientes hospitalizados ou em recuperação.

2. Ter cuidado redobrado com as vítimas de violência sexual e de gênero

Para as vítimas de violência de gênero, o confinamento não significa apenas movimentos restritos, máscaras faciais e álcool gel. À medida que o mundo se fecha para se manter seguro, ficar com outras pessoas em casa significa para muitas mulheres ficar trancada com seus agressores, com poucas oportunidades de procurar ajuda ou cuidados. Além de prestar assistência médica e psicossocial integrada a sobreviventes de violência sexual, atividades de MSF foram alteradas para incluir saúde mental remota e atividades psicossociais.

3. Alcançar populações vulneráveis

Infelizmente, nem todas as pessoas que enfrentam problemas de saúde mental buscam ou recebem o apoio de que precisam, o que é muito comum entre populações vulneráveis, como migrantes e pessoas em situação de rua. É de suma importância diagnosticar e levar apoio, psicoeducação e mecanismos básicos de enfrentamento para elas, sobretudo no contexto da pandemia.

4. Desmistificar estigmas sobre a saúde mental

Fatores como gênero, cultura, idade e principalmente a aceitação geral da comunidade, afetam a maneira como as doenças mentais são compreendidas. Por isso, para alcançar mais pessoas com cuidados de saúde mental, MSF se esforça para romper as barreiras do preconceito, que impedem que muitos acessem serviços essenciais.

5. Cuidar dos profissionais de saúde

Não apenas os pacientes e seus familiares precisam de apoio psicossocial no momento. Os profissionais de saúde estão sob forte estresse, pois arriscam diariamente suas vidas para tratar as pessoas. Para garantir que os cuidados de saúde para COVID-19 e outras condições continuem sendo oferecidos, é preciso dar atenção à saúde mental de quem está atuando na linha de frente.

Faça uma doação e apoie #MSFcontraCOVID19

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar