Você está aqui

Kelly Cavalete, enfermeira, conta sobre o seu retorno a Moçambique

12/09/2011

Parte 4- 12 de setembro de 2011, Maputo, Moçambique

Já estamos em Setembro, o tempo tem passado rápido com tanto trabalho por aqui.

A cólera acabou, felizmente, e agora seguimos com nosso projeto.

A equipe de expatriados está muito forte, bons profissionais e todos trabalhando numa só linha. A produtividade é clara, mesmo com tanta lentidão nos processos burocráticos dos setores públicos aos quais somos obrigados a aderir, devido ao nosso tipo de projeto.

Chamamos essa forma de trabalhar de projeto horizontal, apoiamos as unidades de saúde já existentes do governo. Esse tipo de projeto pode ser cansativo e frustrante, dependendo das expectativas criadas, por isso é preciso ter muita paciência e comunicação para conseguir atingir os objetivos.

Na minha posição de coordenadora de projeto, o contato com as autoridades é essencial, preciso estar em dia com os protocolos, com as nomeações e com os planos de ações. Particularmente, ser brasileira me ajuda, pois a comunicação fica muito mais fácil.

Nesse mesmo período de tanto trabalho, completei um ano de missão e fui visitar a família no Brasil. Foi bom para me reenergizar e voltar ao trabalho para mais um ano. Meu filho de 16 meses ficou muito feliz de voltar para Moçambique e rever os amiguinhos e a casa, parece que se sente Moçambicano.

Agora, de retorno à Moçambique, o inverno já está acabando, estamos em tempo de planejar as atividades de 2012 no nosso projeto.