Você está aqui

A enfermeira Kelly Cavalete, fala sobre o progresso do projeto de MSF em Moçambique

20/10/2011

Parte 5 – Moçambique, 20 de outubro de 2011

Ufa! Finalmente concluímos o planejamento para o próximo ano. Esse trabalho exige muita atenção, boa comunicação com as autoridades e bastante responsabilidade. Felizmente nossa equipe tem trabalhado muito bem e juntos conseguimos terminar os documentos necessários para encerrar essa primeira fase, o que não significa que terminou, mas que estamos prontos para os próximos passos.

De outubro a janeiro, estarei sempre ocupada com relatórios. Tenho que escrever muitos papéis, apresentar dados e estatísticas, explicar as atividades, justificar os gastos e apresentar as novidades do projeto. Tenho tentado adiantar um pouco do trabalho porque devo dar à luz nos próximos dias e isso vai me exigir um pouco de repouso. Contudo, estou muito feliz por ter energias para trabalhar, disposição para tantas reuniões e dedicação nessa fase da minha vida.

Nosso projeto tem sofrido algumas mudanças. A principal delas é que depois de quase 10 anos de trabalho finalmente encerramos uma fase. Em 2002, o projeto foi iniciado com o objetivo de trazer o acesso ao tratamento antiretroviral para pessoas portadoras de HIV/AIDS em Maputo, para isso foi aberta uma clinica dentro de um centro de saúde da cidade, onde profissionais de saúde contratados por MSF faziam o atendimento dessas pessoas. Nesta semana, finalmente, encerramos esse serviço oficialmente e com êxito, já que o Sistema público de saúde fornece hoje atendimento e tramento antiretroviral em 28 centros de saúde na cidade de Maputo.

Nosso projeto continua, mesmo com o fechamento da clínica, pois ainda precisamos apoiar as unidades de saúde do sistema público que passam por muitas necessidades.