Você está aqui

Ajudando mães e bebês no norte da Nigéria

Marcella Israel, obstetra de MSF, conta como a maternidade pode ser difícil em Jahun
28/09/2018
Ajudando mães e bebês no norte da Nigéria

Foto: Arquivo Pessoal

Estou trabalhando pela segunda vez na maternidade de MSF em Jahun, no norte da Nigéria. Fui acolhida com muito carinho pela equipe nacional. Infelizmente, aqui em Jahun, a infraestrutura da região é extremamente precária: as pacientes não têm acompanhamento pré-natal e a infraestrutura de educação e transporte é ineficaz.

Grande parte dos partos ocorre em casa. Além da dificuldade em identificar sinais de alarme para buscar ajuda médica, as pacientes demoram a conseguir transporte e chegam ao hospital em condições críticas, muitas vezes além da nossa capacidade de auxílio.

Outro dia recebemos uma paciente com trabalho de parto obstruído. O coração do bebê batia devagar. Era a primeira gestação, a paciente sentia contrações há dias e a bolsa havia rompido há dois dias. Fátima, a mãe, apresentava sinais de infecção. Ela me olhava assustada e não disse uma palavra enquanto a preparávamos e a levávamos para a cesárea.

Ao terminar a cirurgia, disse a ela em hauçá, a língua local, que estava tudo bem. Para minha surpresa, ela me respondeu em inglês e começamos a conversar. Eu disse a ela que estava feliz, pois a cirurgia foi tranquila e a bebê havia chorado logo ao nascer. Fatima ainda estava séria. “Estou feliz por estar viva e por minha bebê estar viva. É arriscado engravidar nesse país”.

Fatima não é a única a pensar assim. As gestantes aqui não fazem enxoval e não escolhem nome para os bebês. Não sorriem quando o bebê nasce e chora e não têm preferência por meninos ou meninas. Achava essa falta de interesse estranha até saber o que realmente acontece.
 
Uma semana após o nascimento, se a mãe e o bebê estão saudáveis, é celebrada a “Festa do nome”. A mãe é pintada de henna, ganha roupas novas e uma refeição farta. O bebê tem a cabeça raspada, seu rosto recebe marcações de acordo com a tribo e, finalmente, recebe um nome. A festa do nome é o momento em que a família se sente segura para celebrar a alegria de receber um novo membro.

MSF está aqui na Nigéria para que muitas famílias possam dar nomes aos seus bebês.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar