Você está aqui

Por que focar nos adolescentes, principalmente nas meninas?

11/10/2019
A especialista em adolescentes de MSF Jennifer Marx fala sobre o assunto
Por que focar nos adolescentes, principalmente nas meninas?

Foto: Hannah Reyes Morales

Jennifer Marx

Aviso importante: o conteúdo e as opiniões expressas nestes artigos são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente o posicionamento oficial de Médicos Sem Fronteiras.

Embora as definições variem, as Nações Unidas definem a adolescência como a segunda década de vida entre 10 e 19 anos. Durante esse período, os adolescentes experimentam mudanças físicas, neurológicas, psicológicas e sociais e iniciam a transição da infância para a vida adulta.

Os adolescentes, em geral, enfrentam dificuldades no acesso à informação e assistência médica, mas esses desafios são ainda maiores para adolescentes em situações vulneráveis cujas necessidades não são atendidas pelos serviços disponíveis.

Embora todos os adolescentes tenham direito a uma vida saudável, as  meninas adolescentes enfrentam riscos desproporcionais e consequências distintas relacionadas às suas vulnerabilidades físicas e sociais. Durante a adolescência, a influência das normas sociais de gênero na vida das adolescente torna-se mais evidente (UNICEF 2011). As normas culturais e sociais de gênero costumam ser mais restritivas para meninas adolescentes, o que dificulta o acesso a informações e cuidados com a saúde sexual reprodutiva e leva a um papel passivo na tomada de escolhas sexuais, tornando-as menos capazes de decidir sobre sexo seguro.


Vulnerabilidade de meninas adolescentes
É mais provável que as mulheres jovens abandonem a escola, se casem em tenra idade, engravidem e, consequentemente, apresentem um risco maior no que diz respeito à saúde sexual e reprodutiva.

Algumas meninas vivem em áreas com alta prevalência de casamento precoce. Segundo a UNICEF, todos os anos, 12 milhões de meninas se casam antes de completar 18 anos de idade. É mais provável que essas meninas sejam espancadas ou ameaçadas por seus maridos e que descrevam sua primeira experiência sexual como forçada. Como menores, elas raramente conseguem afirmar seus desejos e são menos propensas que seus colegas mais velhos a saber como se proteger do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis.

Em todo o mundo, uma em cada cinco meninas se torna mãe antes dos 18 anos de idade. A maternidade na adolescência traz sérios riscos. As adolescentes que engravidam têm um risco aumentado de várias complicações, pois podem não ter terminado de crescer e se desenvolver. As complicações da gravidez e do parto são as principais causas de morte de adolescentes entre 15 e 19 anos de idade em todo o mundo.

As meninas adolescentes também estão expostas a um risco aumentado de violência de gênero, incluindo assédio sexual, tanto em tempos de paz quanto de conflito. A violência sexual é generalizada e afeta particularmente adolescentes: de acordo com a OMS, cerca de 20% dos adolescentes em todo o mundo sofrem abuso sexual durante a infância e a adolescência.

As adolescentes também tendem a sofrer mais deficiências nutricionais. Elas são particularmente vulneráveis à desnutrição e anemia, porque estão em uma fase rápida de crescimento, além de uma maior demanda por ferro durante a menstruação.

A menstruação continua sendo um tabu em muitas partes do mundo e sem informações, instalações e produtos de higiene menstrual, as perspectivas de saúde, bem-estar e educação para milhões de adolescentes em todo o mundo são prejudicadas.

Investir adequadamente na saúde das adolescentes não é apenas vital para elas próprias, mas também para as sociedades em geral. A inclusão e a prestação de serviços de saúde para adolescentes, principalmente para as mais jovens (10-15 anos), é fundamental para minimizar esses riscos. MSF visa melhorar a saúde de meninas e mulheres jovens, expandindo serviços de saúde amigáveis e adaptados para essa população nas clínicas e comunidades em que trabalhamos.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar