Você está aqui

Vacinação

Vacinação

O impacto positivo das vacinas na saúde pública é amplamente divulgado. No século passado, a vacina ajudou a erradicar a varíola e a reduzir significativamente as doenças transmissíveis infantis, como a difteria e o sarampo.

A cada ano, estima-se que a imunização por meio de oito antígenos padrões previna 2,5 milhões de mortes. De acordo com a Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (GAVI), a introdução de novas vacinas, como a anti-pneumocócica e a contra o rotavírus, tende a aumentar significativamente o número de vidas salvas.

Entretanto, 20% de todos os bebês que nascem a cada ano não estão recebendo as vacinas básicas necessárias para protegê-los de doenças fatais. Em 2010, um total de 19 milhões de crianças não foram vacinadas. O número aumentou para 22,4 milhões em 2011 e as estratégias atuais continuam deixando as principais questões e desafios sem resposta.

 

Cobertura vacinal

Evidentemente, a cobertura vacinal é menor em regiões isoladas, áreas que estão particularmente empobrecidas e locais onde a instabilidade representa barreiras ao acesso para aqueles que querem ser vacinados ou vacinar seus filhos. Cerca de 70% das crianças não vacinadas no mundo inteiro vivem em dez países: Afeganistão, Chade, República Democrática do Congo, Etiópia, Índia, Indonésia, Nigéria, Paquistão, Filipinas e África do Sul.

Desafio

Mesmo a mais efetiva das vacinas não surte efeito em lugares como esses ou em muitas outras nações e regiões, a menos que sejam adaptadas às condições locais. Isso significa que é preciso desenvolver vacinas que possam ser transportadas sem necessidade de cadeia de frio, porque eletricidade e gelo podem ser difíceis de encontrar em muitos países tropicais cujas infraestruturas são limitadas. Pode demorar horas ou dias para que as vacinas cheguem a algumas comunidades isoladas vulneráveis a doenças passíveis de prevenção. 
 

Vídeos

Vacinando meninas contra HPV nas Filipinas

Mais de 25.000 meninas foram vacinadas contra o HPV, causador do câncer do colo do útero, em favelas de Manila, capital das Filipinas. MSF conseguiu ótimos resultados na segunda rodada de vacinação.

Vídeos

Vacinando meninas contra HPV nas Filipinas

Mais de 25.000 meninas foram vacinadas contra o HPV, causador do câncer do colo do útero, em favelas de Manila, capital das Filipinas. MSF conseguiu ótimos resultados na segunda rodada de vacinação.

Caminhos da vacina I Documentário

Conheça de perto os desafios enfrentados por equipes de Médicos Sem Fronteiras para realizar campanhas de vacinação em alguns dos locais mais remotos do mundo.

Vacinação na República Democrática do Congo

Equipes de Médicos Sem Fronteiras vacinaram mais de 710 mil pessoas contra a febre amarela em apenas 11 dias na RDC.

Preços

O preço das vacinas é afetado por uma variedade de fatores, incluindo o número de fornecedores, a tecnologia necessária para produção, o período de disponibilidade de um produto e o volume da demanda que o fornecedor calcula. Preços acessíveis fazem com que os países possam proteger mais pessoas contra doenças fatais e são, também, essenciais para a criação de programas nacionais de imunização sustentáveis a longo prazo.

Para permitir que países em desenvolvimento tenham acesso às novas vacinas contra doenças como hepatite B, pneumonia, diarreia e meningite, alguns países de baixa renda são elegíveis ao suporte financeiro por meio da GAVI, que utiliza recursos providos por governos e organizações para adquirir grande parte das vacinas através do Fundo das Nações Unidas para a Infância, o Unicef. Agrupando demandas e fazendo a compra em quantidade, o Unicef pode conseguir preços mais baratos do que se os países negociassem individualmente.

Outra tática para redução de preços é garantir que mais fabricantes produzam vacinas similares, para que se tornem fornecedores constantes e garantam a competição entre produtores.
 

Atividades de MSF

MSF vacina mais de 10 milhões de crianças todos os anos contra doenças como sarampo, meningite e pneumonia. Em países onde a cobertura vacinal é geralmente baixa, MSF trabalha para oferecer as vacinas de rotina para todas as crianças com menos de cinco anos como parte do programa de cuidados de saúde básicos. No programa, estão incluídas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde: DTP (difteria, tétano e coqueluche), hepatite B, Hemophilius influenzae tipo b (Hib), BCG (contra tuberculose), papilomavírus humano (HPV), sarampo, poliomielite e rotavírus.

Além disso, a imunização é elemento fundamental da resposta de MSF a surtos de sarampo, febre amarela e meningite. Frequentemente, as equipes estão envolvidas em campanhas de vacinação de larga escala, trabalhando para disseminar o conhecimento na comunidade sobre os benefícios da imunização e estruturar postos de vacinação em locais onde é comum que a comunidade se reúna. Uma campanha típica dura de duas a três semanas e pode atender centenas de milhares de pessoas.

A Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF desenvolve pesquisas e estratégias de campanhas com o objetivo de ampliar o acesso à vacinação de rotina nos países mais necessitados. À medida que MSF celebra o aumento da atenção voltada para as vacinas e o esforço despendido para que investimentos significativos fossem aplicados em pesquisa e desenvolvimento associados à estratégia da “Década das Vacinas”, a organização continua extremamente preocupada com o fato de que os resultados desses esforços excluem muitas das crianças que atualmente não estão vacinadas. 


Página atualizada em fevereiro de 2018. 
 

Atividades Médicas

O trabalho de MSF envolve uma grande variedade de atividades, desde a organização de campanhas de vacinação até cirurgias reconstrutivas. MSF também pressiona para que medicamentos de qualidade cheguem às populações que não podem arcar com os altos custos de certos tratamentos.

  • Chikungunya

    Hoje, a chikungunya já foi identificada em mais de 60 países na Ásia, África, Europa e nas Américas.

  • Cólera

    O risco de contração de cólera é maior logo após emergências, como o terremoto que devastou o Haiti em 2010, mas pode acontecer em qualqu

  • Dengue

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 4 bilhões de pessoas estejam vivendo em áreas com risco de infecção pela doença.

  • Desnutrição
    Condição que afeta principalmente crianças, resulta da falta de nutrientes, vitaminas e minerais.
  • Doença de Chagas
    Transmitida pelo barbeiro, a doença parasitária é prevalente na América Latina, em contextos de habitação precária.
  • Doença do sono
    Erradicada em muitos países, ainda é endêmica no centro e no oeste da África. Se não tratada, é fatal.
  • Ebola
    Febre hemorrágica com alta taxa de mortalidade altamente contagiosa.
  • Febre amarela

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a febre amarela é endêmica em 47 países (34 da África e 13 da América Central e do Su

  • Febre de Marburg
    Febre hemorrágica com alta taxa de mortalidade altamente contagiosa.
  • Fístula obstétrica

    Nossas equipes trabalham com gestantes para prevenir a ocorrência de fístulas obstétricas, ao mesmo tempo em que tratam mulheres com a co

  • Hepatite C

    A doença acomete o fígado e é causada pelo vírus da hepatite C (VHC).

  • HIV/Aids
    Epidemia continua se espalhando por países onde não há acesso a diagnóstico e tratamento.
  • Leishmaniose

    A leishmaniose visceral (VL), também conhecida como calazar, é a forma mais grave da leishmaniose.

  • Malária

    A malária é uma infecção parasitária que invade os glóbulos vermelhos do sangue.

  • Meningite
    A doença, que pode ser prevenida por vacina, ocorre por todo o mundo, mas a maioria das infecções e mortes são registradas na África.
  • Sarampo
    Está entre as doenças infecciosas mais contagiosas e faz milhares de vítimas todos os anos, ainda que haja vacina para preveni-la.
  • Saúde materna

    Em mais de 20 países, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) foca na redução das taxas de mortalidade mater

  • Saúde mental
    Por meio de terapias intensivas de curto, médio ou longo prazo, psicólogos buscam aliviar o sofrimento das pessoas atendidas por MSF.
  • Tuberculose
    O longo e árduo tratamento da doença tem contribuído para uma epidemia de tuberculose resistente a medicamentos.
  • Vacinação

    A cada ano, estima-se que a imunização por meio de oito antígenos padrões previna 2,5 milhões de mortes