Você está aqui

Vozes da guerra na região oriental da República Democrática do Congo

20/12/2008
CONDITION: CRITICAL é a nova companha online de MSF que pretende focar as pessoas que sofrem com o conflito na RDC

"O futuro significa morrer. Morrer por causa dos problemas atuais. Porque eu nasci durante esses problemas. Hoje tenho 18 anos. Sabe, é terrível". – Louis, paciente vítima da malária.

A atual escalada da violência levou a crise na região oriental da República Democrática do Congo (RDC) de volta às manchetes, mas é freqüente que a população das regiões de Kivu Norte e Sul tenham que sobreviver com a pouquíssima ajuda ou atendimento da comunidade internacional. A guerra modificou a vida de todo mundo na região. A rotina diária das pessoas se tornou apenas a sobrevivência e a fuga da violência. Médicos Sem Fronteiras (MSF), uma das poucas organizações humanitárias que ainda trabalha em algumas das áreas mais violentas da região, está disparando o alarme com a campanha internacional Condition: Critical (Condição: Crítica, em português). A campanha pretende dar voz à população das províncias de Kivu Sul e Kivu Norte e destacar a situação em que está vivendo. É a própria população a melhor fonte para explicar as condições que enfrenta no dia-a-dia e quais são as maiores necessidades. São eles que vão dar um rosto ao sofrimento pelo que estão passando.

Com o lançamento de Condition: Critical, MSF quer chamar a atenção para a atual crise na República democrática do Congo. Condition: Critical conta as histórias íntimas de pessoas que estão lutando para sobreviver em uma região que se tornou frente de batalha de um conflito que acontece há anos e que se intensificou em agosto de 2008. MSF convidou o premiado fotógrafo da agência World Press Photo Cédric Gerbehaye à região. As fotografias dele são a base do vídeo que é essencial para o site do Condition: Critical, http://www.condition-critical.org/.

MSF está trabalhando nas províncias de Kivu Norte e Kivu Sul desde 1992 e na RDC desde 1981. Nossas equipes médicas estão encarregadas de realizar cirurgias de emergência, tratar de ferimentos que incluem feridas de bala e queimaduras; administrar clínicas móveis para chegar até aqueles que se mudaram para áreas mais remotas em busca de mais segurança; fornecer atendimento médico em hospitais e centros de saúde; atuar contra epidemias como cólera; fornecer atendimento médico a vítimas de violência sexual e apoio psicológico àqueles que estão traumatizados pelo que viveram.

Através das histórias contadas em primeira pessoa, das fotos e do vídeo, o site http://www.condition-critical.org/ pretende ajudar a população que mora nos Kivus a fazer ouvir sua voz no mundo. É uma ferramenta para que eles possam falar de seu dia-a-dia e sua luta pela sobrevivência em circunstâncias tão adversas. Se a crise continuar, o site ficará no ar por pelo menos um ano, trazendo notícias e material atualizados regularmente num esforço para manter a crise em destaque.

A realidade é que a vida na parte oriental da RDC é mais do que apenas dura, as condições são críticas. As casas e a terra se tornaram campos de batalha. As crianças que nasceram durante a crise não conhecem outra coisa senão a guerra. Existe pouquíssima quantidade de abrigo, comida e água. MSF está aumentando sua resposta emergencial na região para lidar com a situação, que se deteriora cada vez mais. A organização trabalha agora em Goma e outras partes de Kivu Norte e Sul, como Rutshuru, Kibati, Kirotshe, Kiwanja, Buhimba, Masisi, Kitchanga, Mweso, Nyanzale, Kayna, Bukavu, Minova e Kalonge.

MSF está muito preocupada com a quantidade de deslocados, que continuam se movendo pelo país para fugir do conflito. Muitos dos deslocados internos e dos residentes precisam urgentemente de comida, água tratada, atendimento médico e bens básicos como cobertores, kits de higiene e material para abrigos temporários. Além disso, casos de cólera estão sendo identificados mais lugares, diferentes dos comuns. O conflito recente levou a um crescimento no número de pacientes de cólera. Entre os fatores de risco estão poucas condições sanitárias, falta de água tratada, o movimento constante da população e o número excessivo de pessoas nos campos especialmente montados para os deslocados internos.

O site http://www.condition-critical.org/ está disponível em inglês, francês, holandês, alemão, castelhano e italiano. Para mais informações, entre em contato com a assessoria de imprensa de MSF no Brasil.

Leia mais sobre