Você está aqui

Vítimas de ciclone em Mianmar precisam de mais ajuda

10/11/2010
Duas semanas depois do desastre natural que devastou o país a situação ainda é difícil, com muitos desabrigados e risco de malária

As respostas à emergência provocada pelo ciclone Giri, que devastou Mianmar, há pouco mais de duas semanas ainda são insuficientes para atender as necessidades das vítimas. O ciclone causou grande destruição nos vilarejos no leste do país e no sul de Sittwe, no estado de Rakhine. Equipes de MSF estão trabalhando nas áreas mais atingidas pelo ciclone: Minbya e cidades vizinhas. 

De acordo com as estimativas oficiais, pelo menos 81 mil pessoas ficaram sem casa e 40 mil acres de áreas de agricultura foram destruídas semanas antes da colheita. As pessoas precisam de comida e abrigo.  Para os sobreviventes, esse é um período crítico de vulnerabilidade. Eles precisam de mais assistência urgentemente.

Segundo MSF, algumas vilas foram completamente destruídas. Muitas famílias estão buscando refúgio em monastérios ou usando sucatas para construir abrigos improvisados. A maioria das pessoas diz que tem pouca ou nenhuma comida, e baixas perspectivas de conseguir alimento no curto prazo.

Na vila de Kyauk Nga Nwar todas as 150 casas foram destruídas pelo ciclone. Uma equipe de MSF tratou um homem de 90 anos que estava tão fraco para fugir do ciclone que permaneceu em casa com os seus dois filhos. Durante a tempestade, uma árvore destruiu a casa dele, machucando os três. 

Malária - A preocupação agora é que a área atingida está entrando no pico da temporada da transmissão da malária. A falta de abrigo, alimentação e assistência médica adequada aumentarão ainda mais o risco da doença.

Em cooperação com as autoridades locais e outros parceiros, MSF está distribuindo kits com comida, materiais e ferramentas para a construção de abrigos. A organização também está fazendo atendimentos de saúde à população local e doou medicamentos para os centros de saúde locais. Na área de atuação de MSF, três dos seis centros de saúde rural foram completamente destruídos.

MSF trabalha em Mianmar desde 1992. Nos últimos anos, o trabalho foi focado no tratamento de HIV/Aids, tuberculose e malária. A organização gerencia 17 clínicas de tratamentos de HIV e providencia tratamento com antirretroviral para mais de 16 mil pessoas.  Além disso, mantém nove clínicas de saúde e mais de 30 postos de combate à malária. Quando é necessário, MSF atua no socorro às vítimas de desastres naturais, como o ciclone Nargis, de 2008.