Você está aqui

Violência no Chade: MSF atende vítimas dos confrontos

11/02/2008
Equipes da organização estão presentes na capital N’Djamena, no leste do país e também no vizinho Camarões

N’Djamena:
A situação está calma na capital há uma semana. Lentamente, as atividades são retomadas, cada dia com mais pessoas e mais tráfego nas ruas. Os mercados de rua voltaram a funcionar, mas a maioria das lojas continua fechada. Os preços dos serviços básicos (alimentação, gasolina, entre outros) aumentaram significantemente.

O que MSF tem feito:
Desde sábado passado, 110 feridos foram tratados por MSF no Hospital Bom Samaritano, uma das poucas unidades de saúde de N’Djamena que permaneceu aberta durante os conflitos.

Um dia após o fim dos confrontos, na segunda-feira, as equipes de MSF começaram a fazer um levantamento da situação no centro de N’Djamena. Medicamentos foram fornecidos a diversas estruturas de saúde e, na quarta-feira, outra equipe médica começou a oferecer apoio ao serviço de emergência do Hospital Geral, a principal unidade de saúde da capital, onde vários feridos foram tratados durante os confrontos. Em dois dias, a equipe tratou 19 pessoas.

MSF também começou a fornecer medicamentos e oferecer apoio ao Hospital de l’Union, em Chagoua, um dos bairros mais afetados pelos combates. A maior parte da população fugiu e o hospital foi fechado durante a última semana, mas agora as pessoas estão voltando e a unidade foi reaberta.

Uma semana após os confrontos, ainda há pessoas feridas a bala chegando ao hospital.

Refugiados em Camarões:
Milhares de pessoas procuraram refúgio em Camarões, na cidade fronteiriça de Kousseri, a 15 quilômetros de N’Djamena. Os refugiados se espalharam por toda a cidade, o que faz com que seja muito difícil precisar quantos são ao todo. A maioria das famílias se estabeleceu debaixo de árvores, com poucos recursos. Seus principais problemas são falta de comida, água potável, abrigo e assistência de saúde primária. Um grande número de pessoas começou a voltar a N’Djamena. Muitas outras enviaram um integrante da família para se avaliar se é seguro retornar, mas ainda não ousam retomar seus lares.

O que MSF tem feito:
Uma equipe de MSF está dando apoio ao departamento de emergência do Hospital Geral de Kousseri, onde mais de 80 feridos foram internados na semana passada. Duas outras equipes estão oferecendo cuidados de saúde primários aos refugiados na cidade e em um local chamado Madana, para onde milhares de pessoas fugiram em busca de refúgio. Nessa região, MSF também começou a distribuir itens de emergência e está envolvida em atividades de tratamento de água e saneamento básico.

Situação no leste do Chade:
Embora algumas equipes de MSF tenham sido reduzidas no leste do Chade devido a uma situação imprevisível, a organização continua a trabalhar na região, onde cuidados de saúde primários e secundários, atendimento psicológico, atividades de tratamento de água e saneamento básico são oferecidos aos refugiados sudaneses e para chadianos deslocados que moram em Abeche, Adre, Farchana, Goz Beida, Dogdoré, Guereda, Iriba e Am Timam.

Carregamentos com medicamentos, material médico, suprimentos logísticos e itens não alimentares chegaram em Camarões e vão ser distribuídos nos próximos dias.

MSF tem 17 expatriados trabalhando em N’Djamena e outros 20 expatriados atendendo os refugiados em Camarões.
 

Leia mais sobre