Você está aqui

Um passo à cidadania: população em situação de rua inaugura mostra no Museu da República

16/12/2003
As pessoas retratadas na exposição realizada pela ONG Médicos Sem Fronteiras foram à abertura da mostra. Exposição pretende reduzir o preconceito social e estimular políticas públicas eficazes para a população que vive ou depende das ruas.

No último dia 4 de dezembro, as portas de um dos marcos da democracia republicana no país - o Museu da República, outrora o Palácio da República - foram abertas para receber um grupo de pessoas que vivem em situação de rua no centro do Rio de Janeiro. Na sala ao lado de onde o Presidente costumava despachar com seus ministros – quando o Rio era a capital do Brasil – uma exposição de fotografias retratando a difícil rotina dessas pessoas que moram nas ruas ou dependem das ruas do Rio de Janeiro era aberta ao público.

Sua Rua, Minha Vida, nome da exposição realizada pela ONG Médicos Sem Fronteiras, traz 24 fotografias de Fabrizia Granatieri sobre as 24 horas de 17 beneficiários do projeto Meio-fio, de MSF, que oferece assistência à saúde e psicossocial a centenas de adultos que vivem em situação de rua na cidade. A exposição foi inaugurada com a presença da maioria dos personagens retratados.

Aos 63 anos, Dona Maria, catadora de papelão na Praça Tiradentes, caminhava com dificuldade ao lado do marido, num vestido azul celeste e uma sombrinha da mesma cor. Trazia nas mãos uma sacola com os recortes de jornais e revistas onde ela aparecia como personagem de reportagens. “Já tirei muitas fotos na vida, mas nunca uma foto minha foi levada para um lugar como esse,” contava ela aos colegas, olhando a suntuosidade do prédio. “Tinha que colocar minha melhor roupa, né.”

Márcio Nascimento, que trabalha reparando calçadas de pedras portuguesas, também vestiu a melhor roupa para a abertura da mostra. Aos 28 anos, e desde os 8 morando nas ruas do Rio de Janeiro, tinha os olhos cheios de lágrimas sempre que lhe perguntavam sobre a exposição. “Nunca ninguém se preocupou comigo. Nunca ninguém fez nada por mim. Hoje é um dos dias mais felizes da minha vida. Vamos ver se isso (a exposição) ajuda a melhorar um pouco a nossa vida nas ruas.”

De fato, essa é a intenção da ONG Médicos Sem Fronteiras com a exposição Sua Rua, Minha Vida. “O projeto Meio-fio tem dois objetivos básicos, um deles é trabalhar diretamente com a população em situação de rua, oferecendo assistência à saúde, orientação social e apoio psicológico, o outro é sensibilizar a sociedade e as autoridades para os problemas enfrentados por esses cidadãos,” explica Zohra Abaakouk, coordenadora do projeto. “A exposição se encaixa neste segundo objetivo. Queremos dar a sociedade a oportunidade de ver essa população sem os preconceitos existentes. Queremos mostrar que são pessoas trabalhadoras e dignas da mesma atenção dada aos demais cidadãos brasileiros.”

A exposição Sua Rua, Minha Vida, fica no Museu da República até o dia 15 de fevereiro e está aberta ao público às terças, quintas e sextas, das 12 às 17h; quartas, das 14 às 17h e sábados, domingos e feriados, das 14 às 18h. A entrada é franca.