Você está aqui

Ucrânia: “As pessoas estão extremamente ansiosas; simplesmente não sabem o que esperar dos próximos meses”

28/11/2014
MSF amplia atividades voltadas para a saúde mental no país

Com a chegada do inverno no leste da Ucrânia, a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) continua a prestar suporte a ambos os lados do confronto na linha de frente de batalha, e está ampliando a assistência psicológica para ajudar as pessoas que vivem em algumas das regiões mais afetadas. Apesar do acordo de cessar-fogo em 5 de setembro, os confrontos continuaram em diversas cidades, tendo se intensificado, principalmente, nas últimas duas últimas semanas.

Cidades das regiões de Donetsk e Luhansk estão sendo afetadas por bombardeios e, em alguns distritos, as pessoas não têm alternativa que não ficar no porão os nos abrigos da época da 2ª Guerra Mundial por segurança. Bancos foram fechados e a maioria das pessoas que vivem nessas regiões não têm acesso a dinheiro. Idosos e pessoas com necessidades especiais estão particularmente vulneráveis, na medida em que o acesso a cuidados de saúde e a compra de medicamentos estão cada vez mais difíceis.

O anúncio feito pelo governo ucraniano em 15 de novembro, de que serviços sociais seriam suspensos nas áreas controladas por rebeldes, incluindo o pagamento de pensões, vai exacerbar ainda mais as dificuldades enfrentadas pelas pessoas mais vulneráveis neste inverno. O suporte do estado a hospitais também vai ser reduzido na região, e médicos, enfermeiros, agentes sociais e outros funcionários públicos devem evacuar os locais.

“Mais de seis meses após o início do conflito, os hospitais nas regiões de Donetsk e Luhansk estão sucumbindo à pressão de ter de lidar com milhares de feridos e pessoas deslocadas”, diz Stéphane Prévost, coordenadora-geral de MSF na Ucrânia. “Cadeias de suprimentos médicos foram gravemente interrompidas e, em alguns casos, completamente suspensas. Hospitais já esgotaram seus orçamentos para 2014 e muitos profissionais da área médica nos disseram não estarem sendo pagos há meses.”

Suprimentos médicos
Desde maio, equipes de MSF oferecem suprimentos médicos essenciais a 59 instalações de saúde em ambos os lados da linha de frente de batalha em Donetsk e Luhansk, suficiente para tratar mais de 10.250 pessoas feridas. Em resposta a essa grave escassez de suprimentos, a organização também ofereceu filme para raio-x, insulina, geradores e instrumentos cirúrgicos para hospitais.

Além da necessidade contínua de suprimentos para tratar pacientes feridos, equipes de MSF também identificaram lacunas significativas na prestação de outros serviços de saúde, como diálise, serviços de saúde maternos e tratamento de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, tuberculose (TB) e HIV/Aids. Quanto mais tempo durar o confronto, mais lacunas surgirão na provisão de medicamentos, que afetarão, principalmente, pacientes com doenças crônicas. Mesmo quando os medicamentos estão disponíveis, muitas pessoas não têm acesso a dinheiro para comprá-los.

Suporte psicológico
“Pessoas vivendo em zonas de conflito, bem como aqueles que fugiram para regiões mais seguras, estão expostas a eventos traumáticos, como bombardeios, tiroteios e perda de membros da família e amigos”, afirma Stéphane Prévost. “A ocorrência repentina desse confronto significa que as pessoas enfrentaram um sentimento agudo de perda de seu modo de vida, de suas casas, seus empregos e redes social e familiar. As pessoas estão extremamente ansiosas; simplesmente não sabem o que esperar dos próximos meses.”

Psicólogos de MSF estão oferecendo suporte voltado para a saúde mental àqueles afetados pelo confronto em diversas cidades. Nossas equipes oferecem suporte individual, em grupo e em família, educação sobre as reações emocionais pós-eventos traumáticos e ferramentas práticas para ajudar as pessoas a lidarem com medo, ansiedade e pesadelos. Desde agosto, equipes de MSF conduziram 764 consultas individuais e 60 em grupo.

Os psicólogos de MSF também estão conduzindo um programa de treinamento para psicólogos locais, agentes sociais e outros profissionais médicos atuando nas regiões afetadas para melhorar suas habilidades e evitar estresse. Desde agosto, foram realizadas 303 sessões de treinamento, sobre temas como primeiros-socorros psicológicos, administração do estresse e o manejo de pacientes agressivos.

Além do suporte psicológico, MSF também providenciou mais de 1.800 kits de higiene contendo sabonete, itens de higiene bucal, toalhas, cobertores, alimentos para bebês e fraldas para as pessoas deslocadas pelo conflito. Equipes de MSF também distribuíram 15 mil cobertores para hospitais e pessoas vivendo em condições precárias nas regiões de Donetsk e Luhansk antevendo o inverno.

Dando continuidade ao tratamento para TB em prisões
MSF mantém um programa para o tratamento da TB resistente a medicamentos integrado ao sistema penitenciário de Donetsk desde 2011. Em meio ao conflito, MSF tem feito todos os esforços para manter o projeto em andamento e prestado suporte aos pacientes para evitar a interrupção do tratamento, o que poderia levar ao aumento da resistência a medicamentos. A organização teme que o suprimento de medicamentos ao sistema penitenciário não esteja funcionando adequadamente.
 

Leia mais sobre