Você está aqui

Ucrânia: MSF nega veemente alegações falsas veiculadas na imprensa pelo Comitê Humanitário da República Popular de Donetsk (RPD)

26/10/2015
Todas as atividades da organização foram realizadas em cooperação e coordenação com as autoridades da RPD

Foto: Amnon Gutman

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está chocada e nega veemente as alegações falsas feitas pelo Comitê Humanitário da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) na imprensa acerca de suas atividades médico-humanitárias. Isso inclui declarações equivocadas sobre a má gestão de produtos farmacêuticos, como medicamentos psicotrópicos, e críticas ao programa de saúde mental da organização, além de acusações infundadas de espionagem.

Ao longo dos últimos 18 meses, MSF tem trabalhado duro para oferecer cuidados médicos gratuitos vitais para pessoas afetadas pelo conflito nos dois lados da frente de batalha. Todas as atividades de MSF, incluindo transporte, estoque e distribuição de medicamentos e nossas atividades de saúde mental foram realizadas em cooperação e coordenação com as autoridades da RPD.

Embora MSF tenha recebido uma notificação oficial sobre a anulação de seu credenciamento para trabalhar na RPD em 19 de outubro, em nenhum momento recebemos esclarecimentos formais acerca das razões por trás dessa decisão de interromper nossas atividades. Estamos extremamente preocupados com a decisão de cancelar nosso credenciamento e interromper nossas atividades, o que irá privar milhares de pessoas de assistência médica vital.
A fim de que cuidados médicos vitais possam continuar sendo oferecidos à população, MSF continua disposta a colaborar com as autoridades, e continua pedindo uma revisão urgente da decisão de suspender suas atividades.

Idosa durante consulta em clínica móvel de MSF no vilarejo de Uspenka, em Donetsk (Foto: Amnon Gutman)Cuidados de saúde mental são vitais na Ucrânia para prestar assistência a pessoas sofrendo as consequências psicológicas do conflito
Os cuidados psicológicos são um componente essencial nas atividades de MSF em muitas zonas de conflito. MSF manteve um programa de saúde mental na RPD até julho de 2015, quando as autoridades pediram sua interrupção. MSF discordou fortemente dessa decisão, já que o aconselhamento de saúde mental é uma parte crucial das atividades médicas para ajudar pessoas a lidarem com as consequências de conflitos. Antes dessa interdição, MSF orientou as pessoas sobre reações emocionais após eventos traumáticos, ensinando-as ferramentas práticas para ajudar a lidar com medo, ansiedade e pesadelos. Além disso, psicólogos de MSF estavam treinando profissionais médicos e de saúde mental locais a fim de aprimorar suas competências e evitar exaustão. Na RPD, MSF conduziu mais de 3.400 sessões de saúde mental, incluindo aconselhamento individual, sessões de aconselhamento em grupo e treinamentos em mais de 35 locais.

Medicamentos psicotrópicos: componente essencial de kits médicos
De acordo com protocolos médicos, medicamentos psicotrópicos são um componente essencial de kits médicos oferecidos por MSF em instalações de saúde onde médicos tratam feridos de guerra, pacientes com doenças crônicas como epilepsia, e pessoas com doenças mentais. Os medicamentos psicotrópicos foram doados ao sistema público de saúde onde pacientes poderiam ter acesso a eles por meio de seus médicos regulares. Cada kit médico contém todos os suprimentos necessários para tratar pacientes adequadamente e são distribuídos com base nos pedidos enviados pelas unidades de saúde. Todas as doações de medicamentos e suprimentos médicos são coordenados e reportados às autoridades de saúde.

Equipe de MSF abastece caminhão com suprimentos para levar a hospital em Artemivsk, em Donetsk (Foto: Francesca Volpi)Mais informações sobre as atividades de MSF na RPD
Desde o início do conflito em maio de 2014, MSF doou medicamentos e materiais a 170 instalações médicas para tratar feridos de guerra e pacientes com doenças crônicas. MSF também realizou mais de 85 mil consultas junto a autoridades de saúde locais por meio de 40 clínicas móveis desde março de 2015, oferecendo cuidados de saúde a pessoas vivendo em locais onde médicos e enfermeiros haviam fugido ou onde farmácias estavam vazias. Nós somos praticamente a única organização oferecendo tratamento para tuberculose nas prisões, insulina para pacientes de diabetes e produtos de hemodiálise para tratar falência renal. Com o encerramento de nossas atividades de um dia para o outro, milhares de pacientes sofrendo com doenças crônicas potencialmente fatais serão deixados com pouca ou nenhuma assistência.

Atualmente, MSF fornece 77% da insulina necessária para pacientes com mais de 18 anos com diabetes na área sob controle da RPD. As equipes também fornecem 90% dos produtos necessários para conduzir tratamentos de hemodiálise, vital para pacientes sofrendo com falência renal. Sem o suprimento estável desses tratamentos vitais, podem ocorrer graves complicações. Há poucas alternativas para essas pessoas, agora que MSF interrompeu suas atividades.

Cerca de 150 pacientes no sistema penitenciário que vivem sob tratamento para a tuberculose resistente a medicamentos agora não mais terão acesso ao tratamento que MSF oferece desde 2011. Há um enorme risco de que a saúde desses pacientes se deteriore rapidamente. É sabido que qualquer interrupção do tratamento de pacientes com tuberculose resistente pode reduzir dramaticamente as chances de cura, mesmo que o tratamento seja retomado posteriormente.

Leia mais sobre