Você está aqui

Tuberculose: Não há tempo a perder

18/01/2007
Diretor da Campanha de Acesso a Medicamentos faz pronunciamento em conferência em Nova York

Por Tido von Schoen-Angerer

Nos dias 11 e 12 de janeiro de 2007, Médicos Sem Fronteiras (MSF), apoiados pela Faculdade de Medicina Weill Cornell, realizaram um simpósio denominado "Sem Tempo para Esperar" em Nova York, com o objetivo de estimular medidas para acelerar o desenvolvimento de um novo tratamento eficaz para a tuberculose (TB). O simpósio reuniu mais de cem especialistas de todo mundo, incluindo profissionais que desenvolvem medicamentos, pesquisadores clínicos, profissionais médicos, formuladores e implementadores de políticas públicas, doadores e ativistas.

Os participantes da conferência concordaram que as iniciativas atuais são inadequadas para responder à urgência global da epidemia de TB.

- TB é uma emergência de saúde global. A cada ano, a tuberculose mata cerca de dois milhões de pessoas e nove milhões desenvolvem a doença.
- Cerca de meio milhão de novos casos de tuberculose multirresistente (MDR- TB) são registrados a cada ano, e casos de tuberculose extremamente resistente a medicamentos (XDR-TB) também tiveram um aumento considerável.
-TB é a principal causa de morte entre pessoas com HIV/Aids e ferramentas inadequadas para diagnosticar e tratar a TB são a principal ameaça à saúde e às vidas dos indivíduos co-infectados por HIV/TB.
- Nós temos ferramentas inadequadas e ultrapassadas para diagnóstico rápido, medicamentos inadequados e ultrapassados para curar muitos adultos e crianças com TB hoje em dia, e um programa inadequado para garantir nossa habilidade de curar a maioria dos casos de TB no futuro.
- Falta-nos o conhecimento biológico básico para entender essa doença complexa de maneira a antecipar os melhores meios de prevenir e tratar a TB.
- Ensaios clínicos de medicamentos e combinações que poderiam estar sendo realizados agora estão suspensos devido à falta de verbas e capacidade, assim como de barreiras regulatórias.
- Conquistas significativas no controle da TB serão apenas alcançadas quando o tratamento para a doença, incluindo a tuberculose resistente a medicamentos, possa ser significantemente encurtado e simplificado.

Os participantes fizeram um apelo para que governos, agências inter-governamentais, pesquisadores, profissionais que desenvolvem métodos de diagnóstico e medicamentos, organizações não governamentais e financiadores atuem em cinco áreas-chaves.

1. Acelerar a descoberta de medicamentos
- O público e o setor não lucrativo precisam ter a garantia de acesso aos serviços farmacêuticos profissionais, que em sua maioria existem no setor privado, para desenvolver diagnósticos e medicamentos. Mecanismos devem ser estabelecidos para garantir o acesso público às bibliotecas de compostos e para criar bibliotecas apropriadas com potencial de apresentar propriedades anti-TB, particularmente produtos novos e naturais.

2. Expandir a capacidade para realização de ensaios clínicos e acelerar o desenvolvimento clínico
- Em todo mundo, apenas US$20 milhões são gastos em ensaios clínicos de medicamentos para TB comparados com cerca de US$300 milhões gastos com medicamentos para o HIV apenas nos Estados Unidos.* Órgãos financeiros deveriam apoiar a criação de uma plataforma de ensaios clínicos para TB e a expansão maciça da capacidade para realização de ensaios clínicos, particularmente nos países em desenvolvimento.
- Há uma prioridade imediata para reduzir o tempo de desenvolvimento clínico de medicamentos. O critério para uso expandido deve ser estabelecido pela OMS e por autoridades regulamentadoras para importantes candidatos a medicamentos.
- Em particular, testes para medicamentos para (M)DR-TB devem ser priorizados devido à grande disseminação de resistência a medicamentos e ao potencial desses testes, que indicam uma rápida eficácia.
- Os ensaios de medicamentos deveriam buscar integrar estudos de novos diagnósticos em potencial.

3. Apoiar novas abordagens de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)
- A falta de desenvolvimento de medicamentos para TB é resultado do modelo falho de pesquisa e desenvolvimento aplicado atualmente, voltado para a pesquisa de medicamentos que dão lucro. A comunidade de TB deve se engajar no Grupo Intergovernamental de Trabalho sobre Inovação, Propriedade Intelectual e Saúde Pública da Organização Mundial de Saúde (OMS) para estabelecer um sistema global de P &D para ajudar a desenvolver novos meios de estabelecer prioridades e financiamento de P&D.
- Com relação ao desenvolvimento de medicamentos da TB, participantes do simpósio em Nova York apoiaram a discussão atual na OMS que defende um tratado sobre P&D em saúde essencial que aborde a questão sobre quem paga por P&D médica essencial e de associar incentivos aos preços dos medicamentos, em vez de premiar o impacto das invenções com base nos resultados da assistência de saúde.

4. Comprometer-se com uma liderança global de P&D para TB
- Uma forte liderança política é necessária para aprimorar a colaboração entre os cientistas, profissionais que desenvolvem medicamentos, provedores de assistência médica e indivíduos afetados, nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, e desenvolver uma agenda de pesquisa prioritária global para TB

5. Aumentar o financiamento para atividades de P&D de TB
- Há uma grave lacuna de financiamento para P&D de TB. Cerca de US$900 milhões precisam ser investidos anualmente no desenvolvimento de novos mecanismos para a TB, mas apenas US$ 206 milhões foram investidos em 2005. Essa lacuna em investimento deve aumentar com o passar do tempo*. Um dramático aumento no financiamento é necessário para sustentar as atividades de pesquisa e desenvolvimento. Tudo isso é uma questão de prioridade política.