Você está aqui

Tsunami na Indonésia: MSF dá continuidade à sua resposta enquanto número de feridos aumenta

26/12/2018
Apesar das restrições de acesso e quedas de energia em algumas regiões, muitas pessoas ainda chegam a instalações médicas em busca de tratamento
Tsunami na Indonésia: MSF dá continuidade à sua resposta enquanto número de feridos aumenta

Foto: Muhammad Suryandi/MSF

De acordo com a Agência Nacional de Gestão de Desastres da Indonésia, até o dia 25 de dezembro, 16.082 pessoas haviam sido deslocadas de suas casas nos cinco distritos afetados pelo tsunami – Pandeglang e Serang, na província de Banten, e Lampung Selatan, Tanggamus e Pesawaran, na província de Lampung. Atualmente, estão registradas 429 mortes, 1.485 pessoas feridas e 154 pessoas desaparecidas. Os danos físicos incluem 882 casas, 73 hotéis e habitações, 60 instalações culinárias, 434 barcos e cerca de 65 veículos.

Em Labuan, Médicos Sem Fronteiras (MSF) mantém uma equipe no centro de saúde para apoiar a oferta de serviços médicos a pacientes ambulatoriais. Até o momento, o local recebeu 74 feridos e já deu alta a 66 pacientes. No total, 8 pacientes foram encaminhados para o hospital e 9 corpos foram recebidos. Ainda há muitas pessoas que chegam ao centro para buscar tratamento, apesar dos cortes de energia na região.

Em Carita, MSF não conseguiu chegar ao centro hoje, 26 de dezembro, devido às inundações causadas pelas fortes chuvas que começaram na noite de 25 de dezembro. A coordenação médica, junto aos profissionais do centro de saúde, está sendo realizada por meio de ligações telefônicas. Desde 25 de dezembro, o centro de saúde Carita recebeu 99 pacientes feridos, que foram imediatamente liberados após o tratamento. A instalação também recebeu 65 corpos.

“Além de apoiar os centros de saúde, MSF tem oferecido consultas por meio de uma clínica móvel, desde o terceiro dia após o tsunami atingir a região. Nós visitamos os sobreviventes que foram levados a pé para terrenos mais altos. Alguns deles foram feridos enquanto tentavam escapar da água que subia ou foram atingidos por escombros. Vimos muitas pessoas feridas em comunidades remotas que não receberam nenhum tratamento. Então, fizemos limpeza e curativo em seus ferimentos. Depois disso, faremos visitas de acompanhamento para verificar seu estado de saúde e garantir que elas se recuperem adequadamente”, disse Dina Afriyanti, obstetriz de MSF.

Sulaiman Warawu, promotor de saúde de MSF, completou: “Como MSF está em Banten desde o início deste ano para o projeto de saúde de adolescentes, nos sentimos em casa aqui. Por isso, nos comprometemos a apoiar os centros de saúde e as pessoas afetadas. Continuaremos conduzindo a clínica móvel e acompanhando a recuperação dos pacientes.”

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar