Você está aqui

Tragédia recente no mar ressalta necessidade urgente por aumento da capacidade de resgate no Mediterrâneo

05/08/2015
Barco com 600 pessoas vira próximo da costa da Líbia pouco antes da chegada de barco de resgate de MSF

Foto: Marta Soszynska/MSF

A tragédia mais recente no Mar Mediterrâneo, na qual centenas de pessoas se afogaram após um barco com 600 pessoas virar, destaca a grave falta de operações adequadas de busca e resgate na região, de acordo com a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF).

O barco de madeira virou próximo da costa da Líbia, pouco antes da chegada do Dignity I, barco de resgate de MSF, ao local.

Inicialmente, MSF recebeu um chamado do Centro de Coordenação de Resgate Marítimo de Roma sobre um barco de madeira em situação de perigo por volta das 9h00 desta manhã, mas, no caminho, foi desviado da rota para assistir outro barco. Esse resgate, de 94 pessoas, foi concluído por volta de 12h30. O Dignity I, então, recebeu outro chamado para que retornasse para prestar assistência ao chamado original. Quando o barco de resgaste se aproximava, um barco irlandês que havia chegado primeiro ao local já estava conduzindo operações de resgate, na medida em que o barco de madeira tinha virado. Estima-se que cerca de 300 pessoas tenham sobrevivido.

“Foi uma visão terrível. As pessoas se agarravam desesperadas aos coletes salva-vidas, barcos e a qualquer coisa que pudessem para salvar suas vidas em meio a pessoas se afogando e àqueles que já haviam morrido”, conta Juan Matías, coordenador do projeto de MSF a bordo do Dignity I. “O fato de termos sido inicialmente contatados para assistir esse barco e pouco depois termos sido enviados a outro ressalta a grave falta de recursos disponíveis para operações de resgate.”

Outros barcos de resgate continuaram chegando à região para prestar assistência, e o Dignity I ofereceu tratamento a dez pessoas, cinco das quais em condições tão graves que foi necessário evacuá-las por helicóptero. Os barcos de resgate de MSF, Bourbon Argos e MY Phoenix, operado em parceria com a MOAS, também foram enviados ao local.

Antes da tragédia de hoje, estima-se que 1.941 pessoas já tenham perdido suas vidas na tentativa de cruzar o Mar Mediterrâneo. MSF deu início às operações de busca e resgate em maio este ano e, até o momento, resgatou mais de 10 mil pessoas.

Leia mais sobre