Você está aqui

Sudão: novo hospital no Nilo Branco atende refugiados sul-sudaneses e comunidade local

03/02/2020
Localizada no campo de Al Kashafa, a instalação pretende aprimorar a qualidade dos serviços de saúde prestados principalmente a refugiados sul-sudaneses

Médicos Sem Fronteiras (MSF) inaugurou hoje um novo hospital no campo de refugiados de Al Kashafa, no estado do Nilo Branco, no Sudão. O hospital irá aprimorar a qualidade dos serviços de saúde oferecidos a refugiados sul-sudaneses e à comunidade local.

O hospital, de 85 leitos, foi aberto em dezembro do ano passado e agora oferece cuidados de saúde primária e secundária para pacientes com complicações médicas, incluindo crianças gravemente desnutridas que precisam de hospitalização e pessoas com doenças crônicas infecciosas, como HIV e tuberculose. Os pacientes atendidos vêm do campo de Al Kashafa, além de vilarejos arredores e de outros oito acampamentos próximos.

Profissionais de MSF e autoridades do Sudão estiveram na inauguração do hospital, que foi construído pelas nossas equipes. Durante a cerimônia, foi plantada uma árvore para simbolizar os frutos do trabalho empenhado. Agora, o hospital foi formalmente incorporado à rede do Ministério da Saúde local.

O hospital de Al Kashafa também disponibiliza serviços de transfusão sanguínea, emergência, alas de maternidade, pediatria e neonatal, apoio em saúde mental e programas de saúde sexual e reprodutiva. Pacientes com trauma grave e gestantes que precisam de cesárea são levados por equipes de MSF a hospitais maiores em Kosti e Al Jabeleen.

“Nosso projeto para 2020 é acompanhar ainda mais de perto a situação em todos os campos de refugiados, por meio de uma rede de agentes de saúde comunitários, para que problemas de saúde mais urgentes sejam tratados a tempo e adequadamente no hospital de Al Kashafa ou em outras instalações”, diz César Pérez, coordenador de MSF no estado do Nilo Branco.

MSF começou a trabalhar no Nilo Branco em 2014, para lidar com o influxo massivo de refugiados que escapavam da guerra iniciada no fim de 2013 no país vizinho Sudão do Sul. Desde então, implementamos várias atividades, incluindo campanhas de vacinação, respostas de emergência e gestão de estruturas de saúde. Atualmente, quase 200 profissionais de MSF trabalham no Nilo Branco.

De acordo com o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR), o estado do Nilo Branco abriga 248 mil refugiados sul-sudaneses¹  e 162 mil deles vivem em acampamentos como o de Al Kashafa. No Sudão, somente a capital, Cartum, abriga mais refugiados.

“Apesar do andamento do processo de paz no Sudão do Sul, o número de refugiados no Alto Nilo não teve redução significativa. Necessidades médicas e humanitárias permanecem altas na região. Portanto, é fundamental continuar prestando assistência tanto aos refugiados quanto às comunidades locais que os abrigam”, diz o dr. Pérez.

Em 2019, MSF realizou quase 120 mil consultas em Al Kashafa – quase 10 mil por mês – e atendeu mais de 5 mil pacientes. Ao todo, 63% dos pacientes triados eram refugiados e o restante, da comunidade local.

MSF também tratou quase mil crianças desnutridas com menos de cinco anos em seu centro de estabilização e assistiu mais de 670 mulheres em seus partos – isto equivale a quase dois bebês por dia. As equipes também admitiram 196 novos pacientes no programa de tuberculose e 94 novos pacientes no programa de HIV.

“Gostaríamos de agradecer ao Ministério da Saúde, à Comissão de Refugiados e à Comissão de Assuntos Humanitários pela cooperação durante todos estes anos, e à comunidade de Al Kashafa por ter cedido espaço para a construção do hospital”, diz Julia Paulsson, coordenadora-geral de MSF no Sudão. “A inclusão feita pelas autoridades sudanesas do novo hospital de Al Kashafa à rede de instalações do Ministério da Saúde vai beneficiar enormemente a população, porque, mesmo quando MSF encerrar suas atividades médicas na região, os serviços de saúde continuarão disponíveis para a população.”

MSF é uma organização médico-humanitária internacional, fundada em 1971. Nossas ações são guiadas pela ética médica e pelos princípios de neutralidade, independência e imparcialidade. Oferecemos assistência com base exclusivamente nas necessidades médicas, independentemente de raça, religão, gênero ou afiliação política.
MSF atua no Sudão desde 1978. Nos últimos anos, nossas atividades estiveram concentradas em cinco estados: Al Gedaref, Cordofão do Sul, Darfur Leste, Darfur Norte e Nilo Branco. Nossas equipes estão prontas para lançar respostas de emergência em outras regiões caso seja necessário. As instalações de saúde de MSF oferecem cuidados médicos gratuitos e de qualidade a refugiados, deslocados internos e comunidades anfitriãs.

¹ https://data2.unhcr.org/en/situations/southsudan/location/1904

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar