Você está aqui

Sudão do Sul: MSF completa campanha de vacinação contra a cólera em Juba

04/09/2015
Iniciativa da organização imunizou mais de 160 mil pessoas na capital do país

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) completou uma campanha de vacinação contra a cólera que alcançou mais de 160 mil pessoas em Juba, capital do Sudão do Sul. A campanha, realizada em coordenação com o Ministério da Saúde do Sudão do Sul, ofereceu proteção adicional contra a cólera às pessoas que vivem nas áreas mais afetadas pelo atual surto, ajudando a reduzir a propagação da doença nesses bairros.

Na primeira fase da campanha, de 31 de julho a 8 de agosto, MSF vacinou mais de 138 mil pessoas em 21 pontos de vacinação distribuídos pela cidade. Na segunda fase, de 9 a 26 de agosto, a organização ampliou o alcance ao vacinar populações do entorno das localidades onde foram registrados casos novos e confirmados de cólera. Mais de 22 mil pessoas foram vacinadas em 25 localidades de Juba.

“A campanha visa reduzir a transmissão da cólera nas áreas mais afetadas de Juba”, diz Barbara Rusch, referente médica de MSF. “Ao mesmo tempo, o objetivo da estratégia direcionada [às áreas mais afetadas] é ajudar a dar um fim ao atual surto de cólera em Juba o mais rápido possível.”

MSF também está oferecendo tratamento para pacientes sofrendo com a cólera. Em julho, a organização inaugurou um centro de tratamento de cólera (CTC) em Juba, gerido em coordenação com o Ministério da Saúde, que ofereceu cuidados a 77 pessoas. No hospital estadual de Bor, no estado de Jonglei, MSF tratou 136 casos suspeitos de cólera, além de ter oferecido capacidade técnica e apoio logístico à unidade de tratamento de cólera da instalação.

Até hoje, 1.538 casos de cólera e 45 mortes relacionadas com a doença foram reportados na província de Juba durante um surto que foi declarado pelo Ministério da Saúde no dia 23 de junho. Mais 136 casos suspeitos, incluindo uma morte, foram reportados em Bor, no estado de Jonglei. Nas últimas semanas, a taxa de transmissão de cólera no Sudão do Sul diminuiu de um pico de 235 casos por semana no fim de junho para menos de 50 casos na última semana, de acordo com dados disponíveis. MSF foi encorajada pelo declínio do número de casos de cólera e interrompeu, por enquanto, as atividades em seu CTC em Juba. No entanto, a organização continua monitorando a situação de perto e está preparada para responder a possíveis futuras necessidades.

Ao mesmo tempo, MSF continua enfrentando outras emergências médicas ao redor do país. No mês passado, MSF alertou que o Sudão do Sul corre o risco de lidar com uma segunda estação de malária excepcionalmente grave, na medida em que o número de casos está aumentando em diversos projetos da organização pelo país. Atualmente, MSF continua dedicando recursos adicionais para a ampliação de sua resposta à malária.

MSF a organização que mais presta assistência médica e humanitária no Sudão do Sul. Com 18 projetos em sete dos 10 estados do país, MSF oferece sua assistência médica de forma neutra, independente e imparcial para aqueles que mais precisam, independentemente de filiação política, raça ou etnia.

No ano passado, durante outro surto de cólera no Sudão do Sul, MSF tratou mais de 3.300 pacientes – mais de 50% de todos os casos confirmados no país naquele ano. Globalmente, MSF tratou mais de 45 mil pacientes para a cólera em seus projetos ao redor do mundo em 2014.