Você está aqui

Sudão: acusações contra representantes de MSF são retiradas

21/06/2005
Paul Foreman e Vincent Hoedt retornarão às suas atividades assim que possível. MSF saúda a retirada das acusações e vai permanecer ao lado do povo sudanês, que ainda sofre com conflitos e com a falta de cuidados de saúde

A organização internacional Médicos Sem Fronteiras saúda a retirada das acusações contra Paul Foreman, Coordenador Geral de MSF no Sudão, e Vincente Hoedt, Coordenador Regional em Darfur, no Sudão.

“Finalmente iremos poder focar toda nossa atenção no oferecimento de assistência humanitária às vítimas dos conflitos em Darfur, a maioria delas dependente de ajuda humanitária”, diz Geoff Prescott, Diretor Geral de MSF na Holanda. “O povo de Darfur ainda sofre com a violência e com a falta de acesso à saúde, e MSF permanecerá do seu lado”.

Paul Foreman e Vincent Hoedt foram presos no final de maio. Ambos acusados de publicar informações falsas - subestimando a sociedade sudanesa - e de espionagem, pela publicação do relatório “A Esmagadora Pressão do Estupro: Violência Sexual em Darfur”, em março de 2005. Eles foram libertados sob fiança e proibidos de deixar o país. Como o governo confirmou que todas as acusações contra eles foram retiradas, Paul e Vincent retornarão às suas atividades diárias de trabalho assim que possível.

MSF trabalha em mais de 29 áreas em Darfur, com 180 profissionais estrangeiros e mais de três mil profissionais nacionais. Nos últimos 12 meses MSF realizou cerca de um milhão de consultas de saúde, e tratou mais de 50 mil crianças com desnutrição, apenas na região de Darfur.