Você está aqui

Sri Lanka: 250 mil civis presos em intenso conflito

29/01/2009
Decisão do governo de ordenar retirada da ONU e de todas as ONGs da região impede MSF de ajudar os civis

Médicos Sem Fronteiras(MSF) está muito preocupada com a segurança das 250 mil pessoas que estima-se estejam presas em meio a um grave conflito no Distrito de Vanni, no Sri Lanka. Centenas de civis foram feridos ou mortos durante os últimos dias, uma vez que a ofensiva militar do governo fez diminuir a àrea controlada pelos Tigres de Tâmil.

MSF tem sido informado sobre a dura condição de vida dos civis. Os hospitais estão respondendo da melhor maneira possível, mas estão ficando sem medicamentos e profissionais médicos. As ambulâncias estão tendo dificuldade em se movimentar através das linhas de frente para resgatar os feridos.

A organização tem uma equipe médica e um carregamento de suprimentos prontos para serem enviados ao país, mas não pode entrar uma vez que o governo pediu para a ONU e todas as ONGs que deixassem o local, em setembro de 2008. A resolução é mantida apesar dos diversos pedidos de ajuda da equipe do Ministério da Saúde do país, que continua em Vanni.

Cerca de 2 mil conseguiram cruzar a fronteira para a relativamente segura cidade de Vavuniya nas últimas semanas. No entanto, a maioria da população está impossibilitada de partir. É vital que os dois lados do conflito respeitem o direito dos civis de buscar segurança e facilitem a mobilidade deles de qualquer forma possível.

Na área de Vavuniya, MSF está preparada com clínicas móveis, em caso de um deslocamento em grande escala. Um circurgião chegará em breve para dar suporte adicional ao hospital da região.

MSF já oferece assistência para saúde mental,reforçando as estruturas existentes em Vavuniya, e concede apoio laboratorial e ambulatório para o hospital, alimentando os programas da área. Além disso, a organização trabalha também no hospital Point Pedro, na Península de Jaffna, ponta norte do Sri Lanka, oferecendo atividades médicas e cirúrgicas, tratamento obstetrício e ginecológico e treinando a equipe médica local.