Você está aqui

Seção holandesa de MSF é expulsa de Darfur

05/03/2009
Situação deixa 200 mil pessoas sem assistência médica de emergência na região

O governo do Sudão informou nesta quinta-feira, 5, que a seção holandesa da organização de ajuda humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está expulsa de Darfur. Esta informação chega três dias depois da equipe ter recebido uma ordem de retirar todos seus funcionários da região. A organização se sente ultrajada com uma decisão que deixa mais de 200 mil pessoas sem qualquer tipo de assistência médica básica.

MSF foi convocado a uma reunião com as autoridades pouco depois de o Tribunal Penal Internacional (TPI) anunciar sua decisão de ordenar a prisão do presidente sudanês Omar el-Bashir. A organização recebeu o comunicado de que deveria interromper todas suas atividades e preparar a equipe para a saída imediata do país. Nenhuma outra explicação para essa decisão foi fornecida. A seção holandesa de MSF dirige atividades médicas em três locais em Darfur Sul, nas áreas de Kalma, Muhajariya e Feina.

Esta expulsão ocorre em um momento de surto de meningite no campo de Kalma, lar temporário de 90 mil deslocados internos. Ela também deixa aproximadamente 70 mil pessoas sem acesso a assistência de saúde em Muhajariya devido ao fechamento do único hospital da área e força o encerramento das atividades das clínicas próximas a Feina, onde MSF trata de quase três mil pessoas por mês.

MSF reitera firmemente que a organização é completamente independente do TPI e que não coopera ou fornece qualquer informação a ele. "É um absurdo que nós, parte de uma organização imparcial e independente, estejamos presos neste processo político e judicial", diz Arian Hehenkamp, Diretor Operacional de MSF na Holanda. "MSF trabalha incansavelmente para levar ajuda médica à população de Darfur desde o início da crise. É completamente inaceitável que o povo seja privado de sua assistência médica".

MSF-Holanda em Darfur
Desde maio de 2004, a seção holandesa de MSF fornece assistência no campo Kalma, Darfur Sul, um dos campos mais populosos do país. A clínica de MSF viu o número de pacientes dobrar em 2008, parcialmente devido à queda no número de pessoas ou organizações que fornecem serviços médicos.

Nas proximidades de Muhajariya, uma grande cidade em Darfur Sul, MSF fornece assistência médica a cerca de 70 mil pessoas. Na região de Jebel Marra, no oeste, MSF dirige uma pequena clínica que é o principal centro de saúde de milhares de pessoas deslocadas.

MSF em Darfur
Neste momento, outras seções de MSF continuam seu trabalho em várias outras partes de Darfur.