Você está aqui

RDC: oferta de ajuda é urgentemente necessária em zonas rurais de Kasai

30/10/2017
Depois de meses vivendo na floresta devido à violência, deslocados que retornam à região estão sem nenhuma assistência
RDC: oferta de ajuda é urgentemente necessária em zonas rurais de Kasai

Foto: Marta Soszynska

Uma assistência maior é urgentemente necessária nas zonas rurais de Kasai, no centro da República Democrática do Congo (RDC), à medida que parte da população volta ao local após ter passado cerca de um ano escondida em decorrência da eclosão de um conflito na região.

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) observou uma desnutrição generalizada entre crianças, cerca de 10% ou mais de desnutrição aguda grave em diversas zonas, especialmente nos povoados e nos vilarejos mais afetados pela violência, que eclodiu em agosto de 2016.

Alguns deslocados começaram a voltar aos seus lugares de origem após passarem meses escondidos em florestas próximas, expostos a doenças e com pouco acesso a alimentos.

As equipes de MSF trataram quase mil crianças com desnutrição grave entre junho e setembro deste ano em Tshikapa, capital da província de Kasai, e também nas zonas rurais dos arredores.

“A crise que vemos em Kasai foi completamente ignorada”, afirma Gabriel Sánchez, responsável pelas operações de emergência de MSF na região. “As pessoas que retornam a seus povoados e aldeias estão tendo que lidar por contra própria com a reconstrução de suas casas e a retomada de suas plantações, frequentemente sem ferramentas de trabalho adequadas, ou depois que suas fontes de renda já foram afetadas”.

Em consequência da violência, muitos centros de saúde locais estão funcionando com dificuldades. “Metade dos centros de saúde que visitamos nos últimos três meses foram saqueados, queimados ou destruídos”, disse Sánchez. “Alguns estão retomando lentamente suas atividades, mas carecem de profissionais médicos qualificados, medicamentos e uma equipe principal”.

Se a ajuda humanitária chegou às principais cidades de Tshikapa e Kananga, quase nenhuma assistência chegou a outros pontos da região, apesar de a insegurança já não ser mais um problema em muitas dessas zonas há alguns meses.

As equipes móveis de MSF viajam até povoados de Kasai para tratar pessoas que precisam de assistência médica, especialmente crianças desnutridas, e também para reabastecer centros de saúde locais com medicamentos e outros suprimentos. MSF também apoia um hospital e três centros de saúde em Tshikapa e ajudou a inaugurar 10 centros ambulatoriais de nutrição terapêutica na zona rural periférica.

“Ainda há comunidades vulneráveis nas principais cidades, sobretudo pessoas deslocadas que ainda não estão preparadas para voltar aos seus lares e que precisam de assistência médica, refúgio, alimento e apoio para enfrentar as experiências traumáticas que viveram”, diz Sánchez. “Apesar disso, há uma necessidade mais urgente de que outras organizações ofereçam assistência nas zonas rurais de Kasai. A resposta dada à situação foi lenta e insignificante demais para uma crise desta magnitude”.

Entre junho e setembro de 2017, as equipes de MSF na província de Kasai realizaram mais de 5 mil consultas pediátricas, mais de 200 cirurgias e trataram mais de 155 pessoas por lesões relacionadas à violência, além de 30 sobreviventes de violência sexual.

Na província de Kasai, MSF está apoiando o hospital provincial de Kananga desde abril de 2017 e também estabeleceu um serviço de assistência a vítimas da violência sexual em junho.

 

Debate: Migrações contemporâneas - contextos, mensagens e desafios