Você está aqui

RDC: equipes de MSF vacinaram 42 mil crianças contra o sarampo na região de Bunyakiri

26/06/2015
Campanha de vacinação foi realizada em resposta a uma epidemia da doença

Foto: Anna Surinyach/MSF

Membros da equipe de emergência da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na província de Kivu do Sul, no leste da República Democrática do Congo (RDC), vacinaram crianças e jovens com idade entre seis meses e 15 anos, após autoridades terem declarado uma epidemia na região de Bunyakiri, onde diversos casos confirmados de sarampo foram registrados.

Mais de 150 pessoas foram mobilizadas para a vacinação, entre profissionais de MSF, profissionais do Ministério da Saúde e membros da comunidade. Dez equipes foram formadas ao redor das áreas de saúde de Bunyakiri, que receberam a maior parte das vacinas, e Tushunguti, uma área que é, particularmente, de difícil acesso e onde não se pode chegar com qualquer tipo de veículo. Para garantir que o número de crianças que não receberiam a vacina fosse mínimo, os profissionais foram de porta em porta nos vilarejos incluídos na campanha abordar as pessoas.

A campanha de imunização durou quase duas semanas, entre 24 de maio e 5 de junho. De acordo com estimativas de MSF, vacinas foram dadas para, ao menos, três quartos das crianças e jovens com idade entre seis meses e 15 anos na região coberta.

“Eu também fui vacinada quando era mais nova e sei que é algo muito importante para a saúde das crianças”, disse Faida, segurando a mão de sua filha Lumoo, de um ano e meio, no posto de vacinação em Bundengue.

No fim de 2012, um surto de sarampo afetou mais de 700 crianças na região de Bunyakiri, o que levou à realização de uma campanha de vacinação em massa. Regularmente, equipes de MSF têm atuado para ajudar a imunizar a população, mas campanhas de vacinação de rotina não são conduzidas o suficiente a ponto de prevenirem novos surtos. Por exemplo, em dezembro de 2014, mais de 90 mil crianças e jovens com idade até 15 anos foram vacinados na região de Minova, próximo de Bunyakiri.

O sarampo pode ser fatal em crianças se não for tratado, mas é muito fácil de ser prevenir com a vacina. A doença é extremamente contagiosa e pode causar complicações, como pneumonia, desnutrição, desidratação grave, infecções de ouvido e infecções oculares que podem até levar à cegueira. As taxas de mortalidade variam consideravelmente dependendo do contexto, mas, quando uma população não é vacinada, o sarampo pode matar entre 1% e 15% das crianças que afeta.

Por décadas, a RDC tem sido afetada por epidemias de sarampo, com um grande ressurgimento da doença desde 2010. Um estudo conduzido pelo Epicentre, o centro de pesquisa epidemiológica de MSF, indicou que entre 2010 e 2013 quase 300 mil casos foram registrados no país e mais de 5 mil pacientes (1,7% do total) morreram. De acordo com o relatório, o número de casos foi reduzido em mais de 20% após as primeiras campanhas de vacinação.