Você está aqui

Questões de segurança complicam situação em Gaza

12/01/2009
Equipe palestina continua providenciando atendimento nas áreas onde moram, assistência é limitada

A trégua nos ataques não tem contribuído para que os trabalhadores humanitários façam seu trabalho e para que pacientes cheguem aos hospitais. Ela abrange apenas a cidade de Gaza e não as áreas urbanas nos arredores. A clínica de cuidados pós-operatórios de Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Gaza está aberta todos os dias, mas, por causa dos riscos, poucos pacientes conseguem chegar.

Nossa equipe médica palestina continua providenciando atendimento nas áreas próximas a sua localização, mas esse atendimento é muito limitado em relação às enormes necessidades.

Na quarta-feira, 7 de janeiro, nossas equipes visitaram três escolas que alojam desabrigados. Suas necessidades médicas foram avaliadas e medicamentos e suprimentos médicos distribuídos.

Nossas equipes estão em contato constante com os hospitais palestinos e relatam que os funcionários estão exautos por causa do fluxo de pacientes feridos, especialmente durante a noite.

Uma equipe de cirurgia de MSF está atualmente em Jerusalém. Ela inclui cirurgiões vasculares e gerais, além de enfermeiros para a sala de cirurgia e um anestesista especializado em tratamento intensivo. MSF espera que eles consigam entrar na Faixa de Gaza assim que possível. Essa equipe apoiaria as equipes médicas palestinas no Hospital de Shifa.

MSF também espera autorização para enviar 21 toneladas de suprimentos médicos, incluindo duas tendas infláveis. Elas seriam usadas para aumentar a capacidade de pacientes na unidade de tratamento intensivo e, possivelmente, configurar uma sala de cirurgia adicional. Um logístico de MSF também se juntará à equipe para construir essa base.

Leia mais sobre