Você está aqui

Prevenção do câncer cervical no Malauí

21/02/2020
Campanha de vacinação contra o HPV, realizada por MSF em conjunto com o Ministério da Saúde, imunizou mais de 8.500 meninas
Prevenção do câncer cervical no Malauí

Foto: MSF

O câncer do colo do útero pode ser prevenido e, no entanto, tem provocado um número desproporcional de mortes de mulheres em países de baixa e média renda. Na África Oriental, Ocidental, Central e Austral, o câncer cervical é a causa número um de mortalidade relacionada ao câncer em mulheres.

Prevenção eficaz

A prevenção mais eficaz é a vacinação contra uma causa comum do câncer do colo do útero, o papilomavírus humano (HPV). O HPV é uma infecção comum transmitida sexualmente. A vacinação de meninas contra o HPV as protege das cepas mais fortes da infecção que, se persistentes, podem se transformar em câncer do colo do útero.

MSF faz campanha há muitos anos para garantir que as vacinas sejam acessíveis a todas as meninas. No entanto, as que mais precisam de vacinação são aquelas que não conseguem ser imunizadas, como acontece em muitos dos locais onde MSF trabalha. Ao apoiar campanhas de vacinação para meninas que vivem em países onde o número de novos casos e mortes é elevado, podemos reduzir o número de vidas perdidas por causa desse câncer.
 
Um dia no programa


No fim de janeiro de 2020, em conjunto com o Ministério da Saúde, MSF realizou uma campanha de vacinação contra o HPV no distrito de Chiradzulu.

No Malaui, o câncer de colo do útero é responsável por 40% de todos os cânceres que afetam mulheres e mata, segundo estimativas, 2.314 mulheres por ano. A campanha imunizou mais de 8.500 meninas, de 9 anos de idade, em 100 escolas e 17 centros de saúde.


 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar