Você está aqui

Posto de MSF abre portas para PAIF – programa social da Prefeitura do Rio de Janeiro

05/10/2004
PAIF é o Programa de Assistência Integral à Família da Prefeitura do Rio de Janeiro. Juntos, comunidade e profissionais das áreas de saúde e psicossocial irão buscar soluções para problemas enfrentados pelas famílias

Numa sala do Centro de Atenção Integral à Saúde de Marcílio Dias - o centro de MSF que oferece atendimento médico e psicossocial para as comunidades de Marcílio Dias, Mandacaru e Kelson's, todas do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro – um grupo de pessoas das comunidades se reúne todas as quartas-feiras, com profissionais da área de psicossocial da Prefeitura do Rio de Janeiro, para discutir assuntos relacionados à família. É programa PAIF – Programa de Assistência Integral à Família – da prefeitura do Rio de Janeiro, que está debatendo com usuários do Centro de Atenção Integral à Saúde de MSF em Marcílio Dias, problemas comuns às famílias das comunidades atendidas pelo centro.

"Nós convidamos os grupos de mulheres e de jovens, que já fazem parte de algumas atividades no centro de MSF, para participar da primeira reunião onde se faria apresentação do projeto. O PAIF pretende ter um grupo aberto uma vez por semana para discutir as problemáticas familiares e, ao final de cada encontro se decidirá o tema do próximo”, conta Helena Lúcia dos Santos Mendonça, psicóloga e uma das coordenadoras do projeto em Marcílio Dias.

Nas duas últimas reuniões do grupo, a comunidade discutiu questões relacionadas ao alcoolismo, um problema que afeta muitas famílias das comunidades atendidas por MSF. Além de uma apresentação da peça teatral montada pelo grupo de mulheres, as pessoas discutiram os conflitos familiares e as possíveis soluções para o problema do alcoolismo.

"Temos muitas pessoas aqui em Marcílio Dias precisando de ajuda para vencer o alcoolismo, que é considerado uma doença pela Organização Mundial de Saúde, e que nós consideramos uma doença progressiva e sem cura", diz Flávio Herculano Lourenço, coordenador do Grupo Marcílio Dias dos Alcoólicos Anônimos e que participou das discussões. Segundo ele, o AA de Marcílio Dias existe desde 1993 e hoje cerca de 20 pessoas participam das reuniões que acontecem todas as 4ª feiras e domingos.

Uma das mulheres que vem participando do projeto PAIF admite que o problema do alcoolismo é grande dentro das comunidades de Marcílio Dias, Mandacaru e Kelson´s. Dentro da família dela há problemas de dependência química, não só relacionada ao álcool, mas a outras drogas consideradas ilícitas. "É muito bom que este projeto tenha chegado aqui na comunidade porque ajuda muito e ainda dá um incentivo grande para que as pessoas possam aprender melhor como lidar com problemas como este dentro de casa", conta ela.

A entrada do PAIF nas comunidades atendidas por MSF vai ao encontro dos objetivos de MSF. “Quando entramos em Marcílio Dias, essas comunidades estavam isoladas e excluídas de projetos públicos. Um dos objetivos de MSF, ao instalar um posto de saúde na comunidade, era exatamente facilitar a entrada de projetos públicos que promovessem a inclusão social das famílias que vivem aqui”, diz Martha Martinez, coordenadora do centro de Atenção Integral à Saúde de MSF em Marcílio Dias.


AA de Marcílio Dias:
Encontros às 4ª feiras, das 19 às 21 horas, e domingos das 10 às 12 horas
Endereço: Rua Nossa Senhora da Penha, 99.