Você está aqui

Paquistão: saúde materno-infantil deficiente no Baluchistão

03/06/2019
Práticas inadequadas acentuam situação extremamente precária
Paquistão: saúde materno-infantil deficiente no Baluchistão

Foto: Khaula Jamil

No Paquistão, milhares de mulheres e bebês morrem a cada ano devido a condições médicas facilmente evitáveis. Na província do Baluchistão, no sudoeste, que possui algumas das piores estatísticas de saúde do mundo, a situação é particularmente ruim. 

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é um dos maiores provedores de saúde internacionais na província. MSF oferece atendimento obstétrico e ginecológico às mães e atendimento pediátrico e neonatal a seus filhos. As equipes de MSF tratam mais de 11 mil crianças desnutridas por ano em quatro distritos. A falta de conhecimentos sobre nutrição, desmame e amamentação significa que práticas nocivas à saúde são uma preocupação importante para as equipes médicas de MSF.

"A desnutrição é uma questão séria que é exacerbada pela falta de hábito de buscar cuidados de saúde, falta de proteção social, pobreza extrema, conflito e deslocamento. Isso deve ser abordado de uma maneira holística que se estenda além do mandato de MSF", disse Tetyana Pylypenko, coordenadora médica de MSF no Paquistão. Os hábitos de uma comunidade em relação aos serviços de saúde podem ser influenciados pelo custo dos serviços, distância das instalações de saúde, crenças culturais, nível de conhecimento sobre saúde e instalações inadequadas.

As equipes de promoção de saúde e aconselhamento de MSF trabalham lado a lado com equipes médicas, realizando sessões regulares de conscientização e aconselhamento para educar as pessoas sobre sua saúde e desencorajá-las a seguir práticas inseguras do ponto de vista médico.

"Quando não pude alimentá-lo, dei-lhe chá verde", diz Malaika sobre seu recém-nascido Arish, que foi readmitido em uma instalação médica de MSF em estado crítico poucos dias depois de nascer. "Minha sogra disse que era a melhor coisa a fazer e também foi o que eu fiz com meus outros oito filhos."

Chá verde, chá preto e outras ervas podem ser muito prejudiciais para os recém-nascidos. No entanto, é prática comum nos distritos de Naseerabad e Jaffarabad alimentá-los com chá.

Quando Malaika viu que o bebê Arish estava doente, ela o levou para uma clínica particular. Conforme sua saúde continuou se deteriorando, Arish foi encaminhado para a instalação de MSF. Infelizmente, Arish chegou em uma condição muito crítica e morreu.

"Tais casos são muito comuns", diz o Dr. Zialullah. "Chá preto e chá verde são usados como remédios para tudo, de queimaduras a cortes e para alimentar bebês."

Em 2018, as taxas de desnutrição no Baluchistão levaram as autoridades provinciais a declarar uma emergência nutricional. No início do ano, uma Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde descobriu que 47% das crianças no Baluchistão apresentavam evidências de crescimento retardado, uma condição resultante do crescimento e desenvolvimento prejudicados que as crianças vivenciam como resultado de má nutrição, infecção repetida e estimulação psicossocial inadequada.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar