Você está aqui

Paquistão: MSF socorre de centenas de feridos após atentado

05/04/2010
Equipes de MSF, junto com profissionais do Ministério da Saúde organizaram resposta de emergência para salvar vítimas de bomba.

Após uma explosão ocorrida a apenas 600 metros do distrito de Head Quarter, em Timurgara, médicos e outros profissionais da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) e do Ministério da Saúde paquistanês trataram 88 pessoas, a maioria gravemente ferida.
Vítimas da explosão incluem alguns pacientes com fraturas expostas e lesões abdominais. Nas salas de operações, equipes de MSF e do Ministério da Saúde realizaram cirurgias que salvaram a vida de cinco pessoas. Adicionalmente, 34 pacientes foram encaminhados para o hospital Peshawar.

"Nós não apenas ouvimos, mas sentimos a explosão – foi realmente do lado de fora do hospital e dentro de poucos minutos as vítimas estavam vindo para dentro", diz o Dr. Alex, médico de MSF que trabalha na ala de emergência do hospital. As equipes foram capazes de lidar com o intenso fluxo de pessoas, e a triagem foi feita na própria ala de emergência. Esta é a terceira vez em seis meses que MSF teve que iniciar um plano de desastre em massa na sala de emergência do distrito de Head Quarter, para os quais treinamentos regulares são realizados ao longo do ano.

"Nosso objetivo é providenciar o melhor atendimento médico possível para aqueles que mais precisam. Nós salvamos um número considerável de vidas, mesmo com a imensa quantidade de pacientes que chegaram no pronto socorro após a explosão", diz o Dr. Alex.
"Quando se trata de uma resposta de emergência, o fornecimento suficiente de materiais médicos, bem como um número adequado de pessoal treinado é crucial", completou o médico. Desde janeiro de 2009, MSF tem apoiado o hospital de distrito de Head Quarter, em Timurgara, onde uma das prioridades tem sido aumentar a capacidade de resposta às tragédias com grande número de vítimas.

Em Dir do Sul, MSF apoia o hospital distrital de referência em Timurgara. Cerca de 1,1 mil pacientes são tratados cada semana na ala de emergência do hospital, tanto por equipes de MSF  como por profissionais do Ministério da Saúde. MSF organizou uma nova sala de operações, uma unidade pós-operatória e colocou em prática um sistema de esterilização e gestão de resíduos do hospital.

Desde 1998, MSF providencia assistência médica gratuita para refugiados paquistaneses e afegãos que sofrem os efeitos de conflitos armados, do acesso precário ao sistema de saúde e dos desastres naturais na Provinvia da Fronteira Noroeste (NWFP), Áreas Tribais Federalmente Administradas (FATA, na sigla em inglês), Baluquistão e Caxemira.

MSF opta por contar apenas com doações privadas para seu trabalho no Paquistão e não aceita fundos de nenhum governo.

Leia mais sobre