Você está aqui

Paquistão: Explosão deixa cinco mortos e 58 feridos no distrito de Swat

16/07/2010
MSF ofereceu assistência imediata para as vítimas e apenas dois pacientes se encontram em estado grave

Após as explosões que ocorreram em Mingora, a principal cidade do distrito de Swat, na província de Khyber Pathkunkhwa, equipes médicas da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) e do Ministério da Saúde paquistanês trataram 58 pessoas feridas, algumas delas de forma grave.

"Logo após a explosão, nós começamos a receber um grande fluxo de pessoas na sala de emergência do Hospital do Grupo Saidu (SGTH). Nós assistimos 58 pacientes, incluindo mulheres e crianças. A maioria se encontra agora em estado estável, mas dois pacientes estão em condições críticas", disse Sonoko Shidehara, médico de MSF em Swat.

Preparação de emergência é crucial para uma resposta adequada a eventos como esse. É por isso que o pessoal do hospital está sendo treinado para implementar triagem e planos de acidente de massa, que permitem a ordenação de pessoas feridas em grupos, considerando suas necessidades.

"Isso significa que nós podemos dar atenção imediata e urgente para os feridos mais graves", explica a Dr. Shidehara. "As pessoas chegaram com traumas graves na cabeça, feridas no peito e ferimentos causados por estilhaços nos braços e nas pernas", completou a Dr. Shidehara.

"A explosão ocorreu num momento do dia de grande movimentação, e logo depois, uma multidão foi ao hospital para ver o que aconteceu e para verificar se familiares e amigos estavam entre os feridos. Quando as pessoas entram na ala de emergência, prejudica o espaço que temos para realizar as atividades médicas urgentes. Entretanto, através da cooperação desses que estavam em volta, nós conseguimos manter apenas pacientes e equipes médicas na ala de emergência", diz o dr. Josep Prior, coordenador de terreno de MSF em Swat. 

Depois de um ano afastada, MSF recentemente retornou para Swat de modo a atender necessidades médicas específicas identificadas no serviço de urgências do hospital SGT. Trabalhando em conjunto com o pessoal do Ministério da Saúde, as equipes da organização estão impulsionando o Pronto Socorro através de fornecimento de pessoal médico, treinamentos periódicos, equipamentos de socorro especializado, e medicamentos capazes de salvar vidas livres de cobrança. 

Enquanto organização médica focada apenas em providenciar cuidados médicos de emergência, MSF não está envolvida em nenhum esforço de reconstrução de Swat, e também não participa de nenhuma estratégia militar ou política. Para manter sua independência. MSF opta por contar apenas com doações privadas, e não aceita financiamento de nenhum governo para o trabalho que realiza no Paquistão.

Para poder levar uma assistência capaz de salvar a vida dos pacientes, MSF clama para que todos os membros da comunidade, partidos políticos, forças militares e opositores armados respeitem a neutralidade das estruturas médicas. 

Desde janeiro de 2010, MSF já tratou mais de 25 mil casos de emergência em  Khyber Pathkunkhwa, no departamento de emergência do hospital distrital de Timurgara, no hospital de Tehsil, em Dargai, e no Hospital do Grupo Saidu, em Mingora.

Desde 1998 MSF tem levado assistência médica gratuita para o povo paquistanês e para refugiados afegãos que sofrem com os efeitos dos conflitos armados, com o acesso precário à saúde e com desastres naturais no Noroeste da província da fronteira (Khyber Pathkunkhwa), nas FATA, no Baluquistão e na Caxemira.

Leia mais sobre