Você está aqui

Paquistão: autoridades pedem a saída de MSF do distrito de Kurram

15/09/2017
Após quase 14 anos de atuação na área, MSF encerrará suas atividades nos próximos dias
Paquistão: autoridades pedem a saída de MSF do distrito de Kurram

Foto: MSF

Depois de 14 anos de presença no distrito de Kurram, no Território Federal das Áreas Tribais (FATA, na sigla em inglês), a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está se retirando da região. As autoridades se recusaram a emitir um certificado de conformidade sem oferecer nenhuma explicação. Sem um certificado válido, MSF não pode continuar suas atividades médicas na região de Kurram.

“MSF está consternada com a decisão das autoridades responsáveis pelas ONGs que trabalham em Kurram. Esse fechamento põe fim a 14 anos de trabalho de MSF em conjunto com serviços de saúde do FATA em Kurram”, diz Catherine Moody, representante da organização no Paquistão. “Dentro do possível, vamos continuar oferecendo cuidados obstétricos e neonatais no FATA por meio do Hospital de Mulheres de MSF, localizado em Peshawar”.

MSF informou a decisão à sua equipe em Kurram, à população idosa de Sadda e Alizai e à comunidade local. As medidas necessárias para fechar os serviços de saúde oferecidos por MSF em Kurram já começaram e devem ser concluídas no fim da semana.

Equipes de MSF trabalham em Kurram desde 2004 e, desde 2008, estão presentes nos hospitais de Sadda e Alizai.

No hospital de Sadda, MSF tem sido responsável pelo departamento ambulatorial para crianças com menos de cinco anos de idade e pela ala de internação para crianças com mais de 12 anos e gravemente doentes. A unidade neonatal tratou bebês nascidos prematuramente e também os que enfrentam complicações logo após o nascimento. Quando necessário, a equipe também facilitava transferências de emergência para hospitais de cuidados terciários por meio de ambulâncias e profissionais de encaminhamentos médicos.  

MSF apoiava a ala de maternidade do Ministério da Saúde por meio do gerenciamento de transferências a instalações de maternidade, entre elas o Hospital de Mulheres mantido por MSF em Peshawar. MSF forneceu ambulâncias e todo o apoio médico necessário durante as transferências. Além disso, a organização ofereceu diagnósticos e tratamento para leishmaniose na comunidade local, imunização para crianças e também apoiou o Ministério da Saúde e a Agência de Controle de Desastres em respostas a emergências, surtos de doenças e feridos em massa. Em Alizai, MSF foi responsável pelo departamento ambulatorial e pela sala de observação para crianças com menos de 12 anos.

Em 2016, em Sadda e em Alizai foram realizadas, respectivamente, 36.498 e 6.416 consultas ambulatoriais. O hospital de Sadda admitiu 1.946 pacientes e tratou 414 pacientes contra leishmaniose cutânea. Um total de 736 crianças foi admitido na unidade neonatal ao longo de 2016.  

MSF continua oferecendo cuidados de saúde ambulatoriais, de emergência e maternos na região de Bajaur, também no FATA, além de oferecer assistência médica nas províncias de Khyber Pakhtunkhwa, Sindh e Baluchistão. Para suas atividades no Paquistão, MSF conta somente com contribuições financeiras privadas de indivíduos de todo mundo e não aceita financiamento por parte de nenhum governo, agência de doação, grupo militar ou instituição política. Desde 1986, MSF trabalha com comunidades paquistanesas afetadas por desastres naturais, conflitos ou falta de acesso a cuidados médicos.
 

Leia mais sobre