Você está aqui

Paquistão: Aumento nos níveis de água atrasa esforço de ajuda

04/08/2010
Equipes de MSF trabalham duro para distribuir itens de auxílio e fornecer água limpa em um cenário devastado e instável

Como novas áreas do Paquistão são afetadas diariamente, as zonas que receberam o primeiro golpe sofrem aumentos preocupantes dos níveis de água. As chuvas contínuas e às vezes pesadas que caíram nas províncias de Khyber, Pakhtunkhwa e Baluquistão impediram significativamente a chegada de ajuda médica e humanitária. Como equipes de MSF batalham no terreno para lidar com as consequências das enchentes iniciais, mais profissionais de MSF estão agora avaliando as necessidades nas recém afetadas províncias de Punjab e Sindh.

Em Nowshera, a equipe de MSF teve que adiar a distribuição de itens básicos de emergência para cerca de 4,5 mil famílias, pois o local havia sido inundado. Infelizmente, por contra das chuvas fortes nos últimos dias, a entrega de itens extremamente necessários como sabões, cobertores, pasta de dentes e utensílios de cozinha não aconteceu.

"O local que havíamos identificado para essa distribuição está debaixo de um metro de água," diz Anthony Thouvenin, coordenador da emergência de MSF em Nowshera. "Dois dias atrás estava seco, mas a água subiu muito rápido. Agora nós vamos ter que explicar para as pessoas que a entrega de itens de extrema necessidade terá que ser atrasada por pelo menos um dia. Nossa equipe esta frustrada, mas isso não é nada em comparação com as pessoas afetadas que realmente precisam de ajuda."

No fim de semana, o distrito de Hangu, que até agora fora poupado, foi atingido por enchentes que afetaram o hospital onde MSF tem um centro de tratamento de diarreia e de atividades cirúrgicas. Casas também foram destruídas e os danos foram sentidos até no campo onde se encontram pessoas desabrigadas. MSF doou imediatamente materiais para apoiar o centro de saúde local. Esta manhã, a equipe relatou a existência de algumas dúzias de famílias desabrigadas e ainda está tentando obter maiores informações sobre as consequências dessa enchente.

No Baluquistão, a estrada entre Dera Murad Jamali e Khabula foi inundada e impediu um caminhão de MSF de chegar ao local identificado. A equipe teve que usar carros com tração 4x4 para realizar a distribuição de kits de emergência e de higiene para mil famílias. A distribuição vai continuar durante toda semana.

Não obstante, MSF continua a providenciar água potável, itens de alívio e cuidados médicos para milhares de pessoas muito necessitadas em Nowshera, Peshawar, Charsadda e em amplas áreas próximas a Manjoshori, no Baluquistão.

Atividades médicas continuam com equipes móveis providenciando cuidados em locais de reassentamento, principalmente escolas. Novas clínicas móveis são esperadas para começarem a operar hoje no Baluquistão, Malakand, Swat e Peshawar, focando as populações mais vulneráveis, sem acesso a unidades médicas. MSF continua apoiando estruturas médicas, mas as constantes mudanças no nível da água também fazem com que famílias se mudem regularmente, dificultando a entrega de ajuda. O número de consultas no hospital Pabbi, em Nowshera, por exemplo, varia entre 100 e 350 por dia dependendo de novos alertas de chuvas.

Em todas as estruturas médicas gerenciadas por MSF, as patologias mais comuns continuam ligadas às condições de vida. A situação é similar nos programas médicos de MSF que já existiam antes das enchentes nos distritos de Dargai, Malakand e Swat, onde as equipes começaram novas clínicas móveis.

"Um em cada três pacientes que nós vimos tem infecção de pele," disse o dr. Majid, um médico paquistanês que trabalha em uma das clínicas móveis no norte de Charsadda. "O fato de pessoas viverem juntas e muito próximas em condições de umidade e falta de higiene é o principal fator. Outras doenças como diarreia também são muito comuns".

Água limpa é extremamente necessária

Um meio de evitar as doenças é através da oferta de água limpa. Equipes de água e saneamento de MSF estão trabalhando duro para providenciar água para as comunidades. Em locais como Charsadda, Nowshera e Swat, as equipes estão apoiando as autoridades locais para reabilitar o sistema de entrega de água local enquanto oferecem água trazida por caminhões para as famílias que precisam.

"Nossa prioridade é providenciar água potável para quantas pessoas for possível," disse Thomas Batarday, que coordena o programa de entrega de água em Charsadda. "Nós estamos entregando mais de 8,5 mil litros todos os dias e isso está no topo dos 21 pontos de água que nós montamos na cidade. Nós vamos manter essa estrutura até o abastecimento de água voltar ao normal."

Pontos de água também foram montados em Dir e em oito locais em Swat (aproximadamente 100 mil pessoas beneficiadas). Adicionalmente, MSF também fornece água limpa para o hospital distrital no baixo Dir e está trabalhando na restauração da provisão de água potável em Nowshera através da reabilitação do sistema e do transporte de água.

Novas províncias gravemente afetadas

Mais avaliações serão realizadas nas áreas afetadas e acredita-se que muitos grupamentos de pessoas continuem isolados e não tenham recebido nenhuma ajuda ainda. Entretanto, o clima impediu MSF de realizar buscas por helicóptero nos últimos dias.

A situação nas províncias de Punjab e Sindh é um grande motivo de preocupação. As autoridades têm organizado a evacuação de centenas de milhares de pessoas, pois chuvas pesadas assolaram a região nos últimos dias. Uma equipe de avaliação composta por cinco profissionais de MSF, inclusive dois médicos, foram ontem para o distrito de Muzaffarg e para a província de Punjab, e outra equipe começou a avaliar as necessidades em Kashmor e Sindh.

Um primeiro avião de carga com 60 toneladas de equipamento de água e saneamento, remédios e material logístico chegou ao Paquistão. Mais 50 toneladas de suprimentos de emergência devem chegar ao país nos próximos dias.

Mais de 100 profissionais estrangeiros estão atualmente trabalhando em conjunto com 1,2 mil profissionais paquistaneses em programas de MSF no Paquistão.