Você está aqui

Os terremotos pegaram o Nepal de surpresa, mas as chuvas não deveriam fazer o mesmo

25/05/2015
MSF está distribuindo suprimentos médicos e materiais de abrigo para ajudar na proteção da população

Foto: Brian Sokol/Panos Pictures

Um mês após o terremoto atingir o Nepal, e apenas a algumas semanas do início das chuvas de monção, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está correndo contra o tempo para chegar a vilarejos remotos com suprimentos médicos e material de abrigo. As dificuldades de logística e as características do terreno limitaram as opções de transporte, levando equipes de MSF a usar helicópteros para transportar esses materiais para vilarejos no norte e no leste de Katmandu todos os dias.

Quando as chuvas começarem, será ainda mais difícil chegar a áreas remotas, onde as estradas foram danificadas, e onde, como resultado, as pessoas se tornaram mais vulneráveis.

Os dois terremotos

Quando o terremoto de magnitude 7.8 atingiu o Nepal, com epicentro no distrito de Gorkha, 80 km a oeste de Katmandu, MSF lançou atividades destinadas a ajudar as populações afetadas em necessidade. MSF prestou assistência por meio de clínicas móveis e ofereceu kits de abrigo e de higiene. Em alguns vilarejos, as equipes encontraram casas e instalações de saúde totalmente destruídas, levando MSF a assistir as pessoas com materiais médicos, de abrigo e de higiene. Em Arughat, no distrito de Gorkha, onde a principal instalação de saúde foi destruída, MSF montou um hospital inflável, que continua oferecendo serviços de saúde para as comunidades nos arredores da região.

Em 12 de maio, quando o segundo terremoto atingiu o leste de Katmandu, MSF foi capaz responder imediatamente, pois as equipes já estavam em campo. As equipes médicas trataram as pessoas no local e evacuaram pacientes com ferimentos graves de vilarejos remotos.

MSF continua respondendo às necessidades que surgiram do primeiro e do segundo terremoto em diferentes distritos, dando prioridade às populações vulneráveis em áreas remotas e de difícil acesso.

Abrigo como prioridade

A distribuição de tendas, lonas e materiais de construção é o principal foco da intervenção de MSF nessa fase da emergência. É necessário assegurar que as pessoas tenham um lugar para ficar antes das chuvas de monção começarem. As equipes de MSF têm aumentado o número de viagens de helicóptero para alcançar o máximo de pessoas nas áreas afetadas com materiais de abrigo.

Onde as estradas são acessíveis, MSF está usando carros e caminhões para distribuir kits de higiene e de abrigo. Até o momento, MSF distribuiu kits de abrigo para mais de 10 mil famílias em vilarejos remotos. Essas distribuições estão em andamento e a prioridade está sendo dada aos vilarejos mais isolados.

Toda vida importa

Antes de cada intervenção, MSF realiza avaliações nas áreas afetadas para estabelecer as necessidades. As equipes de avaliação são constituídas por uma equipe médica que examina pacientes no local, trata aqueles que consegue e evacua pessoas com ferimentos graves. Após os terremotos, as equipes de MSF trataram pessoas com lesões relacionadas ao terremoto e outras de naturezas diversas. Os profissionais conduziram mais de 3 mil consultas médicas, além de encontrar pessoas que estavam à beira da morte, evacuando-as imediatamente.

Um total de 1.150 instalações de saúde foram completamente ou parcialmente danificadas em 14 distritos altamente afetados. As atuais necessidades de saúde são o manejo de lesões pós-trauma, a restauração de serviços de saúde primária que foram interrompidos e o apoio à reabilitação de pacientes que recebem alta dos hospitais.