Você está aqui

OMS divulga novas diretrizes para acelerar tratamento de HIV

30/06/2013
MSF celebra diretrizes estabelecidas pela organização voltadas para países em desenvolvimento

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou hoje as diretrizes provisórias para o uso da bedaquilina, primeiro novo medicamento lançado para tratamento da tuberculose em 50 anos, que foi rapidamente aprovado pela agência norte-americana de alimentos e medicamentos, a FDA (Food and Drug Administration, na sigla em inglês), em 31 de dezembro de 2012. Com o reconhecimento da crescente crise da tuberculose multirresistente (MDR-TB) e a urgente necessidade por melhores medicamentos com maior eficácia e protocolos de segurança, a OMS deu um importante passo com a divulgação das recomendações provisórias sobre o medicamento, baseadas em dados resultantes dos testes clínicos da fase II b.
 
A escalada da epidemia de tuberculose resistente a medicamentos (DR-TB) é massiva, com 310 mil novos casos notificados em 2011. Mas, globalmente, apenas 19% das pessoas que se considera que estejam infectadas estão recebendo tratamento. A expectativa é de que a bedaquilina – que tem se mostrado potencialmente efetiva contra a Mycobacterium tuberculosis, que causa a tuberculose, durante os testes – possa se tornar uma poderosa ferramenta nos regimes de tratamento mais curtos, mais efetivos e menos tóxicos do que os atuais. Hoje, o tratamento para DR-TB envolve a administração de 20 pílulas diárias por dois anos e oito meses de injeções diárias, que podem causar efeitos colaterais excruciantes e, no fim das contas, curam apenas um em cada dois pacientes.
 
Em 2012, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) tratou 31 mil pessoas com tuberculose em 36 países, 1.780 das quais apresentaram estirpes resistentes a medicamentos da doença. MSF responde à divulgação das diretrizes da OMS abaixo. O depoimento é da Dra. Jennifer Cohn, coordenadora médica da Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF:
 
“As novas diretrizes da OMS para o uso da bedaquilina são bem-vindas e oportunas, considerando a recente aprovação pela FDA e a necessidade urgente de ampliação do tratamento de DR-TB.
 
O uso regulado e controlado da bedaquilina é essencial para garantir que não desperdicemos a oportunidade de utilizar adequadamente um dos poucos medicamentos disponíveis que podem tratar a DR-TB efetivamente.
 
Como uma das maiores organizações não governamentais que oferece tratamento para a DR-TB, MSF atende cada vez mais pessoas com estirpes da doença e sem o desenvolvimento de novos medicamentos que possam, combinados a outros, resultar em regimes de tratamento mais curtos, efetivos e menos tóxicos, a DR-TB vai continuar ganhando força como uma emergência global.
As empresas farmacêuticas e de pesquisas têm papel de protagonistas no desenvolvimento de novos tratamentos que possam ser amplamente oferecidos para reverter essa crise. Mas isso só acontecerá se tais empresas colaborarem e pesquisadores acelerarem os estudos sobre novas combinações de medicamentos.
 
Garantir o acesso a esses medicamentos também será essencial.”