Você está aqui

Oferta de diagnóstico e tratamento para a doença de Chagas é ampliada em Oaxaca, no México

19/09/2014
Nova parceria de MSF com Instituto Mexicano de Seguro Social (IMSS) estende a cobertura para 34.500 pessoas

Em março deste ano, uma equipe de especialistas da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) ofereceu treinamento e capacitação voltados para o diagnóstico e tratamento da doença de Chagas para equipes da Secretaria de Saúde do Estado de Oaxaca. O objetivo era beneficiar uma população de 22 mil pessoas sem acesso a diagnóstico e tratamento para a doença. Em agosto, uma nova parceria estabelecida com o Instituto Mexicano de Seguro Social (IMSS) permitiu ampliar a cobertura do projeto para 34.500 pessoas.


Nesta parceria a equipe de MSF oferece o treinamento e monitora as atividades de sensibilização, prevenção, diagnóstico e tratamento por um período de aproximadamente 22 meses. As atividades são planejadas conjuntamente com as autoridades locais, e essa cooperação estratégica promove o comprometimento e a sustentabilidade das ações implementadas, contribuindo para o objetivo principal de integrar o diagnóstico e o tratamento à atenção primária de saúde. A diferença deste treinamento foi o perfil dos profissionais treinados, que são responsáveis por decisões estratégicas em saúde pública. São as pessoas que coordenam as equipes de assistência e os serviços médicos oferecidos.  


Lucia Brum, médica brasileira e consultora em doenças emergentes de MSF, esteve novamente no país e pôde observar o avanço das atividades: “Desde que estivemos aqui no início deste ano, mais de 1.100 pessoas tiveram acesso ao diagnóstico na área inicial do projeto, em Pochutla”, conta. Ela destaca também a importância da nova parceria para o sucesso do projeto: “O sistema de saúde do México é fragmentado; trabalhadores com empregos públicos têm acesso a serviços médicos por meio da cobertura do IMSS e a Secretaria de Saúde do Estado de Oaxaca é a responsável pela população não segurada. Com a parceria com o IMSS, ampliamos a oferta de diagnóstico e tratamento de Chagas também para trabalhadores de zonas rurais.”


Inicialmente, eram cinco os centros de saúde e um hospital de referência em Oaxaca a oferecer diagnóstico e tratamento para a doença de Chagas. Com a ampliação da parceria, contribuímos para melhorar a atenção médica em áreas de difícil acesso, que serão atendidas por brigadas médicas, compostas por um médico, um enfermeiro e um promotor de saúde, que irão promover atividades de sensibilização, prevenção, diagnóstico e tratamento.
Lucia lembra que o projeto é um piloto, que tem como objetivo influenciar os diversos níveis da saúde pública, e está otimista diante dos resultados já alcançados. “As atividades estão em pleno andamento, há cursos por todo o país. O fato de o assunto Chagas estar sendo falado em tantas instâncias é também reflexo das ações de MSF. Pudemos perceber um movimento diferente, uma nova atitude das autoridades em relação à doença, com a definição de políticas mais inclusivas”, explica.


MSF atua no México desde 1985, com projetos voltados para o atendimento médico a vítimas de desastres naturais, imigrantes e outras populações vulneráveis, oferecendo, também, cuidados de saúde mental. Apenas a partir de 2014 teve início a atuação no combate à doença de Chagas.


MSF desenvolve projetos de atenção aos pacientes com doença de Chagas desde o ano 1999 em países como Honduras, Nicarágua, Guatemala, Brasil, Paraguai, Itália e, atualmente, no México e na Bolívia. Cerca de 92.858 pessoas tiveram acesso ao diagnóstico, sendo que aproximadamente 10 mil delas estavam infectadas e 8.024 receberam tratamento.
 

Leia mais sobre