Você está aqui

Novos alojamentos para o acampamento de Grande-Synthe

07/03/2016
Local estruturado por MSF na França está pronto para receber migrantes do acampamento “Selva”

Foto: Raphaël Etcheberry / Médecins sans Frontières

O novo espaço estruturado pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está pronto para receber imigrantes e refugiados que estavam vivendo em meio à lama e ao frio no campo Basroch, em Grande-Synthe, na França. A mudança para o novo local, nos arredores de Grande-Synthe, começa hoje e continuará ao longo dos próximos dias. Essa atividade está sendo realizada junto ao município de Grande-Synthe. O objetivo é oferecer um abrigo onde as pessoas possam se manter secas e sob condições de vida mais aceitáveis.  

Instalações em Grande-Synthe antes da mudança para o novo espaço (Foto: Stéphane Roques/MSF)Os moradores do campo Basroch foram notificados sobre a mudança há algum tempo. Mediadores culturais de MSF explicaram primeiramente que não haverá controle de acesso ao novo acampamento e que as pessoas estarão livres para ir e vir. “Esse acampamento não deve ser um acampamento fechado”, enfatizou André Jincq, gestor adjunto do programa de MSF. Os mediadores também os disseram que eles ficarão instalados em abrigos de madeira no novo espaço – o campo Linière. Cada “bairro” terá instalações sanitárias com banheiros e chuveiros com água quente.

This response was intended to meet refugees’ basic needs, but MSF felt that it was equally important to improve community living areas. Local associations assisting the refugees are thus setting up kitchens, a school, and a playground, as the Grande-Synthe camp’s population includes many families and approximately 100 children.  

Essa resposta foi lançada a fim de atender às necessidades básicas dos refugiados, mas MSF sentiu que era igualmente importante melhorar as áreas residenciais de uso comum. Associações locais que estão ajudando os refugiados também estão estruturando cozinhas, uma escola e um parque, na medida em que a população do campo em Grande-Synthe é composta por muitas famílias e aproximadamente 100 crianças.

As condições de vida no acampamento anterior em Grande-Synthe eram extremamente precárias (Foto: Stéphane Roques/MSF)Embora MSF tenha planejado o acampamento, a organização não irá administrá-lo. Outros grupos poderão assumir esse papel e o gabinete da prefeitura de Grande-Synthe já escolheu um. “Nós construímos esse local para amenizar uma situação de crise na qual o governo se recusou a intervir”, explicou André Jincq.

Dada a inércia do governo francês, o prefeito de Grande-Synthe pediu, em dezembro de 2015, que MSF ajudasse a responder ao influxo de imigrantes e refugiados na região. Em resposta, MSF promoveu melhorias na infraestrutura sanitária e ofereceu cuidados médicos no campo Basroch. Em janeiro, equipes logísticas de MSF começaram a trabalhar no campo Linière. Agora que esse trabalho está completo, o grupo irá concentrar esforços na provisão de cuidados médicos e no monitoramento de indivíduos vulneráveis. A organização oferecerá consultas, serviços de enfermagem e cuidados de saúde mental em salas equipadas em edifícios existentes no espaço.

Leia mais sobre