Você está aqui

Novo acordo ignora atendimento a emergências médicas na Síria

12/06/2012
Autoridades sírias e ONU chegam a acordo sobre a entrada de ajuda humanitária no país. Pra MSF, há outras prioridades a serem consideradas

Em recente acordo firmado entre as Nações Unidas e as autoridades sírias, ficou estabelecido que algumas organizações humanitárias e agências selecionadas - que já operam na Síria - serão autorizadas a fornecer ajuda no país. O acordo, no entanto, não considera minimamente os cuidados médicos urgentemente necessários na região.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) acredita que tal acordo não responde adequadamente às atuais emergências médicas na Síria. Para a organização, as agências em atividade no país não detêm a expertise essencial para atender à crescente crise médica resultante da violência constante.

A violência na Síria se estende por mais de 16 meses. Abastecer hospitais com medicamentos e suprimentos médicos não é a resposta adequada para o crescente número de feridos. É essencial aumentar a capacidade de tratamento. MSF reitera seu pedido às autoridades sírias para que seja autorizada a trabalhar nas regiões afetadas pela violência. A organização está preparada para mobilizar rapidamente recursos médicos e cirurgiões para tratar as vítimas da violência.