Você está aqui

Nigéria: MSF ajuda sobreviventes de ataque mortal do grupo Boko Haram

13/01/2015
Após avaliar necessidades urgentes, organização faz doações e presta atendimento médico

Depois do grande ataque do grupo islâmico Boko Haram na cidade de Baga, no norte da Nigéria, uma equipe da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está prestando assistência a sobreviventes que fugiram para a cidade de Maiduguri. Estima-se que mais de duas mil pessoas tenham sido mortas no ataque – o mais mortal perpetrado pelo Boko Haram em cinco anos – enquanto outros milhares ficaram desabrigados em Baga, no norte do Estado de Borno.

Vinte sobreviventes feridos estão sendo tratados no hospital de Maiduguri por equipes do Ministério da Saúde. Cerca de cinco mil sobreviventes do ataque em Baga estão abrigados em um acampamento em Maiduguri conhecido como “Vila do Professor” (Teacher VillageI, em inglês), enquanto outros estão assentados na costa do Lago Chade. Após avaliar as necessidades mais urgentes, MSF doou alimentos, medicamentos e suprimentos médicos ao centro de saúde da vila, que estava prestes a enfrentar a escassez desses mantimentos. A equipe de MSF também vai prestar suporte ao centro de saúde do acampamento, com foco no auxílio a mulheres grávidas e crianças, que são particularmente vulneráveis.

“Vamos oferecer suporte para as áreas de desnutrição infantil, consultas de pré-natal e partos das várias mulheres grávidas no acampamento, assim como auxiliar em cuidados básicos de saúde”, disse Isabelle Mouniaman-Nara, líder dos programas de MSF na Nigéria. “Ao mesmo tempo, iremos monitorar de perto a situação do acampamento e o número de pessoas deslocadas, e adaptar nossas atividades de acordo com suas necessidades.”

Acredita-se que alguns sobreviventes do ataque ainda estejam na área de Baga, escondidos na mata. Autoridades enviaram um ônibus à área para ajudar a transportar esses sobreviventes a Maiduguri, que, pela estrada, fica a duas horas de distância.

“Devido à situação volátil em Baga, equipes de MSF estão atualmente impossibilitadas de acessar a região e avaliar as necessidades médicas e humanitárias das pessoas”, complementa Isabelle Mouniaman-Nara.

Maidaguri também enfrenta tensão após a ocorrência de um ataque suicida à bomba no mercado da cidade, no dia 10 de janeiro, que matou 20 pessoas.

MSF, que atua na Nigéria desde 2004, mantinha uma base permanente em Maiduguri, a principal cidade do Estado de Borno, desde agosto de 2014. Em 2013, uma equipe de MSF passou quatro semanas trabalhando no hospital de Baga após a ocorrência de violentos confrontos na cidade. À época, a equipe também doou medicamentos e equipamentos médicos ao hospital de Baga, antes de ser forçada a evacuar a área devido à insegurança.

Leia mais sobre