Você está aqui

Na Guatemala, MSF dá suporte após terremoto

16/11/2012
Ajuda incluiu doação de medicamentos, kits de higiene e atendimento psicológico

Nas primeiras horas que se seguiram ao terremoto de 7.2 graus de magnitude que atingiu a Costa Pacífica da Guatemala em 7 de novembro, MSF enviou uma equipe de emergência para avaliar as necessidades médico-humanitárias da população. Após a segunda ocorrência, em 11 de novembro, a equipe continuou a monitorar potenciais demandas de saúde que não poderiam ser atendidas pelas instituições locais nos departamentos de San Marcos, Quetzaltenango e Retalhuleu.

Nos departamentos mais afetados de San Marcos e Quetzaltenango, onde foram reportados 42 mortes, aproximadamente 170 feridos e centenas de casas gravemente danificadas, MSF tem prestado suporte e doado medicamentos a algumas instalações de saúde.

Uma avaliação realizada no hospital de San Marcos revelou danos estruturais reduzidos e disponibilidade de medicamentos para tratar pacientes. No entanto, MSF identificou lacunas no suprimento de água e interrupções nos serviços básicos oferecidos em instalações de saúde primária em áreas rurais, devido ao colapso das infraestruturas e à falta de medicamentos.

Estoque reduzido

“Algumas instalações de saúde rurais sofrem com a escassez crônica de suprimentos e não tinham analgésicos para tratar os poucos pacientes que estavam sendo admitidos. Uma de nossas principais preocupações é que os estragos causados pelo terremoto dificultem o acesso das pessoas a cuidados de saúde, que já são limitados em comunidades rurais”, disse Susana de Deus, coordenadora geral de MSF na Guatemala.

MSF doou medicamentos aos centros de saúde dos municípios afetados em San Cristóbal Cucho, El Quetzal e La Reforma, localizados ao leste e ao sul do departamento de San Marcos. A organização também distribuiu mais de 300 kits de higiene para famílias com pouco acesso a água e saneamento, assentadas em abrigos temporários em comunidades rurais e isoladas em San Juan Ostulcanco. A equipe também forneceu primeiros socorros psicológicos iniciais a pessoas sofrendo com ataques de pânico.

MSF atua na Guatemala desde 1984. Nos últimos quatro anos, MSF vem conduzindo um projeto para que sobreviventes de violência sexual possam ter acesso a cuidados médicos e psicológicos na capital, Cidade da Guatemala. Devido ao alto risco de desastres naturais no país, MSF se mantém preparada para enviar equipes de emergência e prestar assistência às comunidades afetadas.